Seções

EBP Bahia

Em 1995, a Associação Mundial de Psicanálise fundou a Escola Brasileira de Psicanálise, o que fez em dois tempos; no primeiro foi a Escola Múltipla formada por cinco Seções. A Seção Bahia entre elas. No segundo momento, a Escola Una.

A Diretoria da Seção Bahia determina a orientação epistêmica da Seção em consonância com o Conselho, assim como diversas atividades através das Diretorias de Biblioteca, Intercâmbio e Cartéis, e Administrativa Financeira. Organiza um seminário regular, o Seminário de Formação Permanente, aberto ao público, e semanalmente que reúne, os MEs para o debate dos temas das diversas atividades epistêmicas da Escola. Por intermédio da Biblioteca, sustenta três Ateliers de Leitura; um sobre textos dos Escritos e Outros escritos de Lacan; outro de textos da obra de Freud e um terceiro sobre textos de Jacques-Alain Miller. Em conjunto com o Conselho da Seção, a Diretoria reúne os Membros para trabalhos de teoria da clínica, convidando AEs que terminaram seu tempo de testemunhar, trabalhando com eles a teoria de seus passes na perspectiva do tempo. O Conselho da Seção toma a seu cargo as questões relacionadas com os ME, assim como cuida, da Política e da orientação epistêmica da Seção com a Diretoria.

A Biblioteca não é apenas um lugar de mantimento e classificação dos livros, mas também de leitura, compra e distribuição de livros necessários no momento, atividades de debate sobre filmes de interesse e sobre assuntos candentes na cidade.

Na Seção Bahia, na atividade de Intercâmbio e Cartéis, temos dado um lugar especial ao dispositivo de Cartel em sua versão “Relâmpago”, uma versão ajustada à aceleração temporal do mundo atual onde, além do produto, a própria elaboração adquire um valor particular. O Cartel tem funcionado especialmente como um dispositivo que produz laço entre a Escola, o Instituto e as pessoas que estão aproximando-se da Orientação Lacaniana . As atividades de Intercâmbio têm sido um espaço de interlocução e debate entre a Seção e diversos setores da cidade, a partir da conversação sobre temas da atualidade.

No campo das comunicações, a Seção Bahia tem um site, com um link para o site do Instituto, assim como acesso às publicações da EBP-BAHIA – a revista Agente e o Agente on-line. Também é possivel acessar o nosso Boletim ATE e suas edições anteriores, além de ter acesso à nossa página do Facebook – Escola Brasileira de Psicanálise – Seção Bahia – e nosso Twiter – EBP-BA.

O funcionamento administrativo e financeiro está dentro e a serviço do discurso analítico.

A política convergente da Diretoria e o Conselho consideram que a função primeira da Escola é a formação de seus Membros e o mantimento da “lâmina cortante da verdade” da psicanálise.

No campo da extensão, mantêm estreita e complexa rede de trabalho com o Instituto de Psicanálise-Bahia, fundado no mesmo momento que a Seção, por J.-A. Miller, sob os auspícios do Instituto do Campo Freudiano de Paris. Reúne numerosos Núcleos de Investigação, um Curso Regular anual de alto nível sem perder de vista que é destinado fundamentalmente para iniciantes. Também um curso de Pós-Graduação centrado na Orientação Lacaniana, chancelado pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Publica, que recebe profissionais da Bahia e de outros lugares do Brasil. É hoje um lugar de referência. O Instituto sustenta uma Rede Assistencial que funciona em um espaço próprio, na mesma sede da escola. No campo da extensão, é unânime a posição dos Membros da Escola de considerar a extensão como a extensão da intensão.

Endereço R. Comendador José Alves Ferreira, 60, Garcia Cep: 40100-160, Salvador/BA

Horário de Funcionamento De segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Telefone: (71) 3235-9020
(71) 3235-0080

E-mail: ebpbahia@terra.com.br, ipb@veloxmail.com.br

Site: http://www.ebp.org.br/ba

Instituto: http://www.institutopsicanalisebahia.com.br/