Exibindo 13–23 de 23 resultados

EL ULTIMÍSIMO LACAN

R$ 185,00

Resumo: “Para este curso (…) falo do primeiro Lacan, isto é, dos primeiros dez anos de seu ensino a partir de “Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise”. E falo também do último Lacan, isto é, do que começa a se desenvolver a partir do vigésimo seminário, Mais, ainda. No meio, há portanto, um segundo Lacan, que começa com Os Quatro Conceitos Fundamentais da Psicanálise. Mas vou acrescentar uma partição suplementar neste tipo de repartição. Dentro do último Lacan, temos que distinguir o ultimíssimo Lacan, que abre um campo no qual ainda não entramos realmente, ou pelo menos, cujo uso não é habitual para nós”.

Esgotado

EXTIMIDAD

R$ 240,00

Resumo: “Extimidad a palavra já se tornou corriqueira no campo da psicanálise lacaniana e começa a ser usada além dele. Nós a encontramos em periódicos como um nome comum daquilo que, sendo muito íntimo e familiar, converte-se ao mesmo tempo em algo radicalmente estranho. E é verdade que essa palavra diz muito bem em sua estranheza neológica de uma propriedade do sujeito de nosso tempo, um sujeito sempre exilado de si mesmo, que só parece encontrar seu ser mais íntimo no mais distante e deslocado dele. A palavra foi inventada por Jacques Lacan – aparece pela primeira vez em seu seminário sobre A ética da psicanálise em 1958 – e, ainda que usada poucas vezes ao longo do seu ensino, foi recuperada e reelaborada por Jacques-Alain Miller neste curso de 1985 que agora se publica. (…) Para o sujeito de nosso tempo, a extimidade se faz presente como um gozo que toma as formas mais variadas de seu sintoma. Esse gozo, tal como assinala aqui Jacques-Alain Miller, apresenta-se como “algo exterior, liberado de si mesmo, rechaçado da linguagem. Já não é êxtimo ao Outro, mas foracluído, e retorna no real.” O leitor encontrará assim neste livro, nova rendição do curso de Jacques-Alain Miller no qual seguem se formando várias gerações de psicanalistas, o modo como eles devem fazer presente a extimidade própria à psicanálise para estar à altura de seu tempo.” Miquel Bassols

Esgotado

LA EXPERIENCIA DE LO REAL EN LA CURA PSICOANALÍTICA

R$ 280,00

Resumo: “Neste curso sobre “ A experiência do real na cura psicanalítica”, Jacques-Alain Miller percorre as distintas escansões no ensino de Jacques Lacan referentes à experiência do real. Ao longo desse percurso, Jacques-Alain Miller aborda conceitos fundamentais da prática psicanalítica como defesa, recalque, sintoma, gozo e pulsão, e em seguida, os seis paradigmas do gozo. Tais desenvolvimentos culminarão na noção de corpo vivo para a psicanálise, isto é, um corpo afetado pelo gozo. Se trata da incidência da língua no ser falante que deixam marcas no corpo, que o perturbam e que produzem sintomas”.

LACANIANA 25 – La palabra que hiere

R$ 65,00

Índice

Nota editorial | Débora Rabinovich

Lacan
Hacia un significante nuevo | Jacques Lacan

La Orientación Lacaniana
La palabra que hiere | Jacques-Alain Miller

Traumatismo Freud
Auflösung | Osvaldo Delgado
Una intervención poco ortodoxa | Ángeles Córdoba
La interpretación, manipulación de sentido | Ana Simonetti

Leer Lacan
El ascetismo | Jorge Chamorro
Lo que hace Uno, signa | Paula Husni
La interpretación lacaniana: medio-decir, poesía, estilo | Jorge Assef

Intérpretes
Liliana Herrero, Haydée Schvartz, Carlos Rozanski, Guido Cohen,
Juan Pablo Contepomi, Claudio Zlotnik, María De Michelis,
Lucrecia Martel

Recorriendo la AMP
El extranjero éxtimo | Eric Laurent
Cada uno con su norma | François Ansermet

Fixión
82 de Marcos López

El Pase
Testimonios

El goce de la caída y el deseo del analista | Doménico Cosenza
Una pena | María Josefina Sota Fuentes
De la mirada mal-dicha al bien-decir-vibrante | Patricia Tassara Zárate
La ideología científica como fantasma | Elena Levy Yeyati
Desapego | Kuky Mildiner
Merci | Débora Rabinovich

La interpretación inolvidable
Poesía, ¿a esta hora? | Ram Mandil
El deseo del analista al desnudo | Patrick Monribot
Lo inolvidable | Gabriela Dargenton
Despertar | Bernardino Horne
Resonancias en la juntura íntima | Gustavo Stiglitz
Acerca de la interpretación inolvidable | Xavier Esqué

Transferencia de trabajo
Noche de Directorio: Un esfuerzo de poesía

El psicoanálisis ni útil ni fútil… ¿un esfuerzo de poesía? | Diana Wolodarsky
Entre las redes de un poema | Leticia A. Acevedo
La utilidad primera | Nicolás Bousoño
La acción lacaniana | Walter Capelli
El lastre del padre | Cecilia Rubinetti

Cartel
Cuerpos biopolitizado | Ana Laura Piovano

Territorio Lacaniano (IOM2)
La intervención analítica: síntoma y transferencia | Marina Carraro
Moebius y el sarcasmo | Elvira María Dianno

Clínica
Sesión perforante | Patrick Monribot
Del orden de la lengua a lo no distinguido en la estructura | Claudia González

LACANIANA 26 – El factor infantil

R$ 65,00

Índice

Nota editorial, Débora Rabinovich

Inédito de Freud
Intervención de Freud sobre El despertar de la primavera, Sigmund Freud

Inédito de Lacan
Homenaje a Lewis Caroll, Jacques Lacan  

LA ORIENTACIÓN LACANIANA
El desencanto del psicoanálisis
El fin de la ortodoxia, Jacques-Alain Miller

TRAUMATISMO FREUD
El trauma: la sexualidad anacrónica, Susana Amado
El zumbido de la mosca, Fabián Naparstek
El muro del infantilismo, Adela Fryd
“¡Muñequita de madera, gira!”, Ana Cecilia González

LEER LACAN
Había una vez…, Daniela Fernández
Tu cuerpo es tuyo, Claudio Godoy

RAPSODIA
Solución bat, Gustavo Slatopolsky
De muertes, calaveras, síntomas y duelo, Inés Sotelo
Pedro y el lobo, el factor infantil, Marisa Morao
El factor infantil en el sueño, Liliana Cazenave
Viene el Cuco y ¡a despertar!, Mariana Gómez
Factor inquietante, Daniela Teggi

La represión viene del futuro, Germán García

RECORRIENDO LA AMP
Tres dimensiones de la Escuela, Éric Laurent

Fixión, de Yuyo Noé

EL PASE

TESTIMONIOS
Parloteo y nominación, Fernando Vitale
El falo, no sin agujero, Sérgio Laia
Espero lo Ausente, Bénédicte Jullien
Por un “sí”, para un “nombre”, Clotilde Leguil
27 – 28 Uno, Raquel Cors Ulloa
Consentir al reconocimiento, Silvia Nieto

LO IMPERECEDERO
Las piezas sueltas que perduran, Luis Tudanca
Lo que no envejece, Anna Aromí
Un dislocado disparate, Beatriz Udenio
Lo que perdura, Marina Recalde
Lo que perdura, lo que se pierde y lo que se recupera de lo infantil, Luis Darío Salamone
Lo infantil que perdura, Rômulo Ferreira da Silva

TRANSFERENCIA DE TRABAJO

NOCHE DE ESCUELA   
Rostro(s) del acontecimiento traumático, Guy Briole

XXVII JORNADAS ANUALES DE LA EOL
Una discordia menos tonta, Mirta Berkoff

JORNADA DE CARTELES
Acontecimientos de cuerpo y nanosoluciones, Marita Manzotti

IX ENAPOL
Odio, cólera, indignación: desafíos para el psicoanálisis
Argumento Comisión científica, Luiz Fernando Carrijo da Cunha, Gerardo Arenas, Gustavo A. Zapata Machín

Acerca del decir y el despertar, Alejandro Daumas

CLÍNICA
Rosa no duerme, Daniel Roy

PIEZAS SUELTAS

R$ 185,00
Esgotado

TODO EL MUNDO ES LOCO

R$ 200,00

Todo mundo é louco é um elo a mais na tarefa de elucidação do ensino de Lacan. A Orientação lacaniana que se manifesta nesses cursos tem maneiras variadas e eficazes de elucidar esse ensino: o comentário de uma frase elevada a nível de conceito, uma palavra iluminadora, etc. No entanto, nestas páginas encontramos uma agradável novidade, não apenas no que diz respeito a por onde Miller avança, mas quanto à maneira como se posiciona para esse percurso, já que fala como analisante; é a sua maneira de abrir caminho sobre o que não se pode ensinar e que corresponde ao título deste curso.
(…) Um caminho de confidência de onde se apresenta a defesa da psicanálise, o desejo de fazer existir a psicanálise, não apenas como resposta aos ataques do cognitivismo, mas como possibilidade de manter aberta a porta ao singular, ao que não se avalia; um caminho, um desenvolvimento, o do curso, entre velocidade e pausa, como convém ao discurso analítico. Nos tempos que correm, trata-se do tratamento do real, o real na época dos números, sustentando um que fazer com o neurorreal. Um fazer na direção
do afirmado por Lacan de que cabe a cada um reinventar a psicanálise. (…) Marco geral para situar as declinações de “Todo mundo é louco, quer dizer, delirante”, nos seus paradoxos e que, como bússola, nos guia para situar-nos no ultimíssimo ensino de Lacan, “e consequentemente, para guiar-nos também em nossa ultimíssima prática”. O leitor encontrará nestas páginas muito mais indicações do que as que aqui resumidamente destacamos e isso, como todo desafio, tem a surpresa e a satisfação do
detalhe. 

Aníbal Lessere