Exibindo 121–132 de 277 resultados

CURINGA 46

R$ 70,00

O feminino e a subjetividade de nossa época.

Esgotado

CURINGA 47

R$ 50,00

O avesso do mestre contemporâneo. Clinica Lacaniana

DA PALAVRA AO GESTO DO ANALISTA

R$ 88,00

as percepções do autor, Jorge Forbes, sobre as mudanças na clínica. Não existia, até então, uma bibliografia sobre o que hoje é chamada de Clínica do Real, ou segunda clínica de Lacan. Como houve boa aceitação e o livro foi se esgotando, tornando-se cada vez mais raro, esta nova edição não é muito diferente da original e manteve seu estilo oral, posto se tratar de um seminário estabelecido em texto, e o viço do tempo da descoberta de uma revolução clínica que o marcou.

DEL ESTRAGO AL SINTOMA UNA APUESTA CLINICA

R$ 40,00

(…) uma mulher para aceder a sua feminilidade, atravessa o que Lacan chamou de ‘odioenamoramento’, ambivalência do laço pré-edípico com a mãe. Se uma mulher não o atravessa, se não se separa e rompe com esse desdobramento, não poderá aceder a sua feminilidade.

DEL SÍNTOMA AL FANTASMA Y RETORNO

R$ 152,00

Resumo: Este curso foi precedido por uma conferência diante do próprio Lacan no Encontro Internacional de Caracas. Foi um encontro que marcou um antes e um depois na conformação do Campo Freudiano. A busca de Miller é decididamente orientada pelo que, como praticante, ele busca obter em uma cura psicanalítica. Trata-se de ir mais além de “A instância da letra no inconsciente ou da razão desde Freud” a partir dos conceitos de objeto a e o campo do gozo. Não é por acaso que ele se serve do Freud da segunda tópica. Partindo da formulação princeps de conceber o final da análise em termos da travessia da fantasia, o curso é concebido tal e qual a direção da cura: do sintoma ao fantasma, com a promoção do objeto a no núcleo da elaboração. Desse modo, Miller nos apresenta o “Outro Lacan”. Se trata de por em funcionamento no fantasma as peças separadas do corpo que são os objetos a, e colocá-lo à prova no paradigma freudiano de “bate-se numa criança”. A fantasia rechaça que não há relação sexual, pois busca construí-la por meio do objeto. Porque isso? “A boa repressão neurótica também se baseia na Verwerfung, na foraclusão um significante. Portanto, devemos propor uma Verwerfung do significante unário que funda a psicose humana ”. Esta formulação luminosa de Miller vai antecipar uma clínica não estruturalista. Texto: Osvaldo Delgado Tradução: Ivone Maia

Esgotado