Exibindo 1–12 de 16 resultados

ALAS AL AMOR. UN VUELO PARA IMAGINAR LO REAL

R$ 46,00

Se ao final de sua obra Freud nos adverte acerca de um mal-estar ligado ao ideal de sua época, sua queda emblemática, hoje assistimos a outro mal-estar. Esse atribuído ao primado do discurso capitalista, mestre do saber, impõe ícones, modalidades de consumo, um excesso que estraga a eleição singular. Apogeu desse mais de gozar que nos advertira Lacan. É assim como o amor aparece desbussolado sem causa, pois esse excesso tampona o vazio. Diante desse impasse inquietante, nossa proposta se volta para uma nova operação do amor. Uma nova rotação do discurso de amor para Uma mulher. Essa uma, “não toda” que se aproxima do nada, que ao encarnar esse real, é sintoma.

Leonardo Gorostiza

DEL ESTRAGO AL SINTOMA UNA APUESTA CLINICA

R$ 40,00

(…) uma mulher para aceder a sua feminilidade, atravessa o que Lacan chamou de ‘odioenamoramento’, ambivalência do laço pré-edípico com a mãe. Se uma mulher não o atravessa, se não se separa e rompe com esse desdobramento, não poderá aceder a sua feminilidade.

EL AMOR, AÚN. UNA LECTURA DEL SEMINÁRIO 20 Y SUS FUENTES ANTIGUAS

R$ 50,00

O leitor atento estará muito bem acompanhado por Carmen nessa compreensão sem entender tão rápido o que Lacan colocou como condição da formação do psicanalista. E assim você encontrará nestas páginas uma leitura sábia – uma leitura persistente, insistente, consistente, passo a passo – de um Seminário Lacan que deve ser abordado, mesmo que seja a primeira vez, sabendo que não se entende como pensamos entender, e sem querer entender muito rapidamente o que, no entanto, já sabemos.

Miquel Bassols

EL PATERNAIRE-SÍNTOMA

R$ 215,00

Resumo: O sintagma parceiro, escrita, sintoma, é o título composto do curso Jacques-Alain Miller ministrado em Paris nos anos 1997-1998. Embora os temas de cada um de seus cursos sejam caracterizados por uma descontinuidade, uma pontuação, um acento esclarecedor do ensino de Lacan, O parceiro-sintoma é o efeito direto do curso ministrado no ano anterior junto com Eric Laurent, intitulado “O Outro que não existe e seus comitês de ética. ” Nessas aulas, Miller examina de forma nítida e precisa a vida amorosa e as consequências clínicas de um mundo em que o Outro não existe e apresenta uma perspectiva original do fim da análise. O sintoma não é mais apenas uma disfunção decifrável por meio de uma substituição significante. O último ensino de Lacan mostra que mesmo sendo Unlust, desprazer, é também o retorno da pulsão e, portanto, é sempre interpretável como satisfação. Nessa perspectiva, sempre se goza do sintoma, ainda que seja perturbador. O gozo se apresenta como sintoma. Texto: autor não identificado Tradução: Ivone Maia

EL ULTIMÍSIMO LACAN

R$ 185,00

Resumo: “Para este curso (…) falo do primeiro Lacan, isto é, dos primeiros dez anos de seu ensino a partir de “Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise”. E falo também do último Lacan, isto é, do que começa a se desenvolver a partir do vigésimo seminário, Mais, ainda. No meio, há portanto, um segundo Lacan, que começa com Os Quatro Conceitos Fundamentais da Psicanálise. Mas vou acrescentar uma partição suplementar neste tipo de repartição. Dentro do último Lacan, temos que distinguir o ultimíssimo Lacan, que abre um campo no qual ainda não entramos realmente, ou pelo menos, cujo uso não é habitual para nós”.

EXTIMIDAD

R$ 240,00

Resumo: “Extimidad a palavra já se tornou corriqueira no campo da psicanálise lacaniana e começa a ser usada além dele. Nós a encontramos em periódicos como um nome comum daquilo que, sendo muito íntimo e familiar, converte-se ao mesmo tempo em algo radicalmente estranho. E é verdade que essa palavra diz muito bem em sua estranheza neológica de uma propriedade do sujeito de nosso tempo, um sujeito sempre exilado de si mesmo, que só parece encontrar seu ser mais íntimo no mais distante e deslocado dele. A palavra foi inventada por Jacques Lacan – aparece pela primeira vez em seu seminário sobre A ética da psicanálise em 1958 – e, ainda que usada poucas vezes ao longo do seu ensino, foi recuperada e reelaborada por Jacques-Alain Miller neste curso de 1985 que agora se publica. (…) Para o sujeito de nosso tempo, a extimidade se faz presente como um gozo que toma as formas mais variadas de seu sintoma. Esse gozo, tal como assinala aqui Jacques-Alain Miller, apresenta-se como “algo exterior, liberado de si mesmo, rechaçado da linguagem. Já não é êxtimo ao Outro, mas foracluído, e retorna no real.” O leitor encontrará assim neste livro, nova rendição do curso de Jacques-Alain Miller no qual seguem se formando várias gerações de psicanalistas, o modo como eles devem fazer presente a extimidade própria à psicanálise para estar à altura de seu tempo.” Miquel Bassols

LA EXPERIENCIA DE LO REAL EN LA CURA PSICOANALÍTICA

R$ 280,00

Resumo: “Neste curso sobre “ A experiência do real na cura psicanalítica”, Jacques-Alain Miller percorre as distintas escansões no ensino de Jacques Lacan referentes à experiência do real. Ao longo desse percurso, Jacques-Alain Miller aborda conceitos fundamentais da prática psicanalítica como defesa, recalque, sintoma, gozo e pulsão, e em seguida, os seis paradigmas do gozo. Tais desenvolvimentos culminarão na noção de corpo vivo para a psicanálise, isto é, um corpo afetado pelo gozo. Se trata da incidência da língua no ser falante que deixam marcas no corpo, que o perturbam e que produzem sintomas”.

LO FEMENINO ENTRE CENTRO Y AUSÊNCIA

R$ 50,00

Entre centro e ausência, o feminino nomeia o que não seria necessário existir, esse ponto cego que localiza, sempre sem sucesso, a alteridade radical que define o gozo do Outro. Por isso geralmente é segregado como estranho. Longe do falocentrismo freudiano e seguindo a orientação lacaniana, Miquel Bassols nos apresenta neste livro as diversas formas em que o feminino abre um espaço que já não podia mais funcionar na lógica da presença-ausência, nesse ‘entre’ que dá lugar a um espaço impossível de percorrer, o feminino que faz explodir, hoje mais do que nunca, o império da cifra e da exatidão que comanda o discurso da ciência.