Exibindo 1–12 de 108 resultados

AGENTE 19

R$ 50,00

[…] há algo a aprender com o fato de que o sentido
escape. Não escapa só porque sejamos tolos. A fuga
tem a ver com o que é o sentido. Escapar, fugir, é a
maneira de ser própria do sentido.

[…] parece-me que a aposta de Lacan neste texto é
dizer que a fuga do sentido, seu escapismo, é um
real. Podemos tocá-lo, mas não logramos sua fuga.
Há um real quando há resistência, algo impossível
de mudar. Associamos a ideia, o sentido de real, com
a imobilização, com estar em um ponto e não se mover.
Mas aqui, o que não muda é a fuga, a fuga é uma
coisa imóvel e inamovível: é um real. Parece-me que
o esforço de Lacan é pensar o real a partir da fuga,
dessa fuga. A fuga é o real do sentido. É a maneira
como experimentamos na linguagem o impossível
da relação com o sentido. Nós o experimentamos
através disto que não se capta, que não se deixa fixar.

[…]

[…] A fuga do sentido demonstra a função do “não-
-todo” na linguagem.

Miller, J.-A. Sobre a fuga do sentido (1994).

CORREIO 84

R$ 40,00

« Neste ano atípico, em que nossas vidas se agitaram e ainda se agitam com uma mudança imposta e aparentemente irreversível, seguimos nosso trabalho, tentando subjetivar, da melhor forma possível, os efeitos que se produzem. As relações sociais mudaram, nossa prática também foi forçada a mudar. Em um futuro próximo será possível dizer, espera-se, quais as decorrências, para a própria psicanálise, desse turbilhão que ainda nos atinge em cheio.

É desse modo que Correio 84, « Corpos que contam », se insere na cena da psicanálise: recolhendo traços e esboços de reflexões sobre como estão as coisas e como poderão vir a ficar; não há como fugir desse debate. »

Teresinha N. M. Prado.

OPÇÃO LACANIANA Nº 21

R$ 25,00

Este número de Opção Lacaniana online nova série inicia tratando a questão da formação na Escola no notável texto de Jacques-Alain Miller, Teoria de Turim sobre o sujeito da Escola, quando apresenta uma perspectiva inédita do paradoxo da Escola e a aposta de Lacan: a de que seja possível uma comunidade entre sujeitos que sabem, por sua própria análise, o que é o Ideal e o que é a solidão subjetiva, constituindo a Escola não como um grupo, mas um coletivo de sujeitos solitários.

Na sequência, prestamos homenagem à falecida Marcia Mello de Lima, Membro de Escola da EBP, que promoveu, com seu estilo, um trabalho discreto, porém eficaz, de laço entre a transmissão da psicanálise na Escola e seu ensino formal na universidade. Seu texto demonstra que a Universidade e a Escola, em se tratando de psicanálise, não precisam ser consideradas, segundo o clichê, como instituições opostas e antagônicas. No artigo que publicamos, in memoriam, constatamos a clareza com que ela sustentava essa articulação difícil, porém necessária.

Outros textos relevantes dão brilho a esta edição. Dentre eles destacamos o de Miguel Bassols, O objeto (a)ssexuado, e o de François Ansermet, Paradoxos dos sinais discretos na psicose ordinária. O texto de Bassols nos ajuda a ler uma série de outros artigos que tratam das violências e paixões relativas ao objeto e ao gozo feminino, a devastação e algumas indicações valiosas sobre a prática da psicanálise em nossa época; já o texto de Ansermet nos direciona ao tema das psicoses que começamos a preparar para o Congresso da AMP em Barcelona (2018). Como não poderia faltar, às vésperas do XXI Encontro Brasileiro do Campo Freudiano em São Paulo sobre Adolescência, idade do desejo, vale a pena conferir o artigo A gente se vinga no Rock!

CURINGA 51

R$ 60,00

Sumário – Curinga 51

As parcerias contemporâneas

 

CARTAS NA MESA

 

A ética do corpo falante na era do direito ao gozo

Laura Rubião

 

INTERNACIONAL

 

O Um na infância

Fabian Fajnwaks

 

O racismo e a supervisão

Anaélle Lebovits-Quenehen

 

TEXTOS TEMÁTICOS

 

Amor e antiamor em Amy Winehouse

Jésus Santiago

 

Una, a única

Andréa Eulálio de Paula Ferreira

 

Novo amor: uma encruzilhada do amor

Kátia Marias

 

Lacan com Santa Tereza

Fernanda Costa

 

Breves considerações sobre a suspensão da letra

ou um poema de amor ao modo autista?

Paula Pimenta

 

Tão longe quanto impossível:

A psicanálise, seus pares e seu ímpar1

Marcia Rosa

 

EXTIMIDADES

 

Fio de corte na língua da fome

Sabrina Sedelmayer

 

RESSONÂNCIAS DO PASSE

 

“The vindication of ‘Rubbish”

Sandra Arruda Grostein

 

No limiar, sem encontrar a porta

Sérgio Laia

 

RADAR

 

Um outro sentido para o corpo: o sexto sentido

Miquel Bassols

 

CURINGA 50

R$ 60,00

Sumário CURINGA 50

CARTAS NA MESA

12 Sobre a morte: excertos, cartas e uma anotação inédita 

  Sigmund Freud 

22 Epidemia e psicanálise

Fernanda Otoni

INTERNACIONAL

32 O amor e o mal-estar na civilização no século XXI, da mentira hedonista à experiência ética

Clotilde Leguil 

O AMOR E O OUTRO SEXO

50 Cristianismo, um supereu todo-amor

Jésus Santiago

61 No ‘fulgor das ausências’, dizer o indizível

Lucíola Macêdo

73 A falha do amor não o condena

Sérgio de Mattos 

83 O feminino infamiliar em Medeia

Cristiane Barreto

92 Erotomania: um modo de amor feminino

Frederico Feu de Carvalho

103 As parcerias e o amor em Lacan: 

da crença à impossibilidade da relação sexual

Mariana Furtado Vidigal

RESSONÂNCIAS DO PASSE

114 O passe, a amizade e o Outro sexo

Sérgio Laia

EXTIMIDADES

132 Fui Medeia, hoje não sou mais

Teresa Virgínia Ribeiro Barbosa

SUPERVISÃO: EFEITOS DE FORMAÇÃO

150 Um ponto de basta

Elisa Alvarenga

159 Comentário da apresentação: “Um ponto de basta”, de Elisa Alvarenga

Ram Mandil

RADAR 

168 A interpretação: da verdade ao acontecimento

Éric Laurent

CURINGA 49

R$ 55,00

INDICE

 

CARTAS NA MESA

12 O bom uso do semblante e o real que resiste

Helenice Saldanha de Castro

 

INTERNACIONAL

22 O que resta da crença?

Alfredo Zenoni

 

INTERPRETAÇÃO E REAL

38 Não há interpretação sem o inconsciente

Jésus Santiago

47 Uma ovelha desgarrada: a fic(x)ção de um descolamento

Fernanda Otoni Brisset

55 “Fazer surgir a falha que a frase denota”

Ana Lydia Santiago

60 A interpretação do sonho na experiência psicanalítica

Antonio Beneti

65 Interpretação: os sonhos em minha prática

Simone Souto

70 Interpretar a ambiguidade do que se cifra no sonho

Luciana Silviano Brandão

76 A produção de um significante novo na prática analítica

Samyra Assad

81 O sonho da Injeção de Irma: quando a interpretação toca o real

Laura Rubião

89 O real do tempo: trauma, repetição e acontecimento

Frederico Feu de Carvalho

96 Entre sonho e despertar… Um acontecimento

Lucíola Freitas de Macêdo

 

RESSONÂNCIAS DO PASSE

108 O término e meu momento de concluir: entre escrita e leitura

Alejandro Reinoso

114 O ventríloquo e a biruta analítica: duas versões do corpo falante…

no momento de concluir

Sérgio Laia

 

EXTIMIDADES

124 Entrevista com Nuno Ramos

 

CARTEL

154 O cartel, um modo de se enodar com o Um: laço e saber

Clara M. Holguín

 

RADAR

170 Peças soltas sobre o Passe e a Política

Oscar Ventura