logo

MANIFESTAÇÃO DE REPÚDIO ZADIG DOCES&BÁRBAROS

O assassinato da vereadora Marielle Franco não constitui um crime ordinário, fruto da violência urbana, mas um ato de execução sumária com conotações políticas daqueles que se colocam como inimigos do gênero humano. Nossas discussões, há poucos dias atrás, no Fórum “Por que apenas existem raças de discurso: desafios da democracia”, mostraram que a força do contágio dos racismos no mundo constitui uma doença letal para a vida democrática e republicana. A luta que Marielle sempre travou contra a discriminação racial e pela diversidade de gênero é exemplo vivo para as conquistas da democracia. Uma sociedade restrita aos ideais da legalidade e da norma jurídica é incapaz de se contrapor ao racismo que se revela, ao longo dos tempos, uma arma privilegiada das tendências obscurantistas e conservadoras da sociedade brasileira. O momento atual demonstra que, inclusive buscando recursos no Direito, o Estado pode promover as expressões de retrocessos e obscurantismo próprios dos regimes de exceção. Insistimos, por consequência, que a democracia não se confunde com o “juridicismo”: seu vigor e suas conquistas substanciais exigem uma conversação intensa e assídua sobre as grandes direções indispensáveis à vida e à civilização. Nessa conversação, o nome de Marielle Franco (que já nos era uma referência) torna-se agora, pela luta que ele sustentava e o modo brutal como foi riscado da existência, um marco ainda mais incontornável.

Jésus Santiago
responsável por ZADIG doces&bárbaros Rede Internacional de Política Lacaniana

NOTA DE REPÚDIO DA ESCOLA BRASILEIRA DE PSICANÁLISE

A Escola Brasileira de Psicanálise (EBP) manifesta seu repúdio e seu profundo pesar pelo assassinato da vereadoraMarielle Franco, ocorrido na noite de ontem, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Oriunda do Complexo da Maré, Marielle dedicou-se à causa de mulheres e negros, bem como à defesa dos Direitos Humanos.
Manifesta seu repúdio, ainda, à violência generalizada que se alastra sem freios, e a todo e qualquer ato que coloque em risco a integridade humana, bem como a vigência do Estado Democrático de Direito em nosso país.
A EBP acompanhará os desdobramentos e permanecerá atenta ao momento delicado que nossa democracia atravessa. Trabalhamos para que as mais diversas vozes da cidade possam encontrar e inventar as palavras que expressam o mais precioso de suas vidas e para que não se calem jamais.

Luiz Fernando Carrijo da CunhaDiretor da EBP
Lucíola Freitas de MacedoPresidente da EBP

TEXTOS APRESENTADOS NO FÓRUM

Prescindir do Tempo da Cervidão, com “c” | Maria do Carmo Dias Batista – Leia mais

Nossa cruel desigualdade | Angela Bernardes – Leia mais

A contingência negra | Marcelo Veras – Leia mais

As armas do analista frente ao discurso racista | Ana Lydia Santiago – Leia mais


TEXTOS PREPARATÓRIOS

A favela e a localização do mau no racismo contemporâneo Bernardo Carneiro – Leia mais

Racismo e ato político | Cleyton Andrade – Leia mais

A raça é uma ilusão | Lucíola Freitas de Macêdo – Leia mais

Um caso de militância virtual | Rodrigo Lyra Carvalho – Leia mais

Não existe raça, mas racismo | Sérgio de Campos – Leia mais

Miscigenação Sérgio de Castro – Leia mais

Print Friendly, PDF & Email