O objetivo deste trabalho é articular a feminização do mundo atual, consequência da queda do falocentrismo, com o sintoma fóbico e seus objetos.  O norteamento do trabalho será a clínica com crianças, hoje. Para tal, me utilizo do texto de Romildo do Rêgo Barros (1) publicado em Polifonias 2, na Disciplina do Comentário: “Limites da […]

Não me escute, sou de outro planeta, ainda vejo horizontes onde você desenha fronteiras. (Frida Khalo) A queda do falocentrismo A trama edípica que regula o desejo e o gozo já não é mais o que era. Assistimos a uma queda da significação do falo no sentido forte do termo, como aquilo que permite “a […]

“Por este fato, a aparente necessidade da função fálica se descobre ser apenas contingência. É enquanto modo do contingente que ela para de não se escrever. A contingência é aquilo no que se resume o que submete a relação sexual a ser, para o ser falante, apenas o regime do encontro.” (Lacan, J. O seminário, […]

“O único real que verifica o que quer que seja é o falo, na medida em que ele é o suporte da função do significante, acerca da qual assinalo nesse artigo que ela cria todo significado.” (Lacan, J. Seminário 23, p. 114) Podemos situar esta passagem do Seminário 23 como fazendo parte de uma nova abordagem do […]

Nota sobre o pai e suas versões  “No creer en el NP a condición de servirse de él”. Es una frase que inhabilita para  el lacanismo a posibilidad de creer ciegamente en las virtudes de la metáfora  paterna… o ao menos hace resaltar que esta metáfora paterna está arraigada en un hecho de creencia atado […]

  O Seminário de Orientação Lacaniana de 2014 foi coordenado por Romildo do Rêgo Barros e abordou o Curso de Jacques-Alain Miller, “El ultimísimo Lacan”, ditado em 2006-2007 e editado pelo Editorial Paidós em 2013. As notas que seguem destacam partes dos resumos que fiz dos seminários, a convite da coordenação das Jornadas, e publicados […]

O Coaching na queda do falocentrismo Acompanho Lacan quando formula que o sujeito se constitui a partir do significante. Os significantes representam o sujeito para outros significantes. Esse campo, simbólico, dissocia o falo do órgão, da anatomia, e evidencia seu viés de significante conectado à palavra. No Seminário V,[1] Lacan define o falo como um significante que dá […]

12 Maio 2020

O CHEIRO DO TRAUMA

Simone de Beauvoir, no pequeno prefácio que escreve para Shoah, Vozes e faces do Holocausto, edição em brochura do roteiro do filme de mesmo título de Claude Lanzmann, diz: “(…) jamais teria imaginado tal aliança do horror e da beleza. Seguramente, uma não serve para mascarar o outro, não se trata de esteticismo: ao contrário, […]

Há uma teoria espontânea do trauma. O que não podia acontecer, aconteceu. Impensável! Inimaginável! Insuportável! Demais. “Perco o controle” – Diante do impossível realizado, o sujeito está perdido, não é mais o que ele era, nem para si nem para os outros. Nenhuma resposta vale. O sintoma explode. A medicina, apoiada na ciência moderna, busca, […]