Freud anunciou que a clínica psicanalítica teria que se haver com os restos irredutíveis do gozo e com a presença de um supereu feroz. O caminho de Lacan seguiu essa direção e depois de construir a estrutura da supremacia do significante com seu efeito de sujeito, terminou colocando a relação com o gozo como central […]

Share
This

“O gozo peniano advém a propósito do imaginário, isto é, do gozo do duplo, da imagem especular, do gozo do corpo. Ele constitui propriamente os diferentes objetos que ocupam as hiâncias das quais o corpo é o suporte imaginário. O gozo fálico, em contrapartida, situa-se na conjunção do simbólico com o real. Isso na medida […]

Share
This

No texto Em direção à adolescência, de Miller (2015) – uma proposta de orientação para os trabalhos preparatórios para a 4a Jornada do Instituto Psicanalítico da Criança(2) –, encontra-se a indicação de pontos cardeais para um estudo da adolescência. A leitura desse texto permitiu-me elaborar um comentário que se compõe de duas grandes partes, que […]

Share
This

Isabel do Rego B. Duarte: Podemos dizer que a marca de sua diretoria da EBP tem sido o resgate – em ato – do termo “Ação Lacaniana”, proposto por Miller há alguns anos. Nesse contexto, em que procuramos levar a sério o aforisma de Lacan “o inconsciente é a política”, e ainda com a inspiração […]

Share
This

Estamos reunidos sob a orientação lacaniana em direção ao tema da adolescência que teve como inspiração o texto de Jacques-Alain Miller “Em direção à adolescência”(1). Para a psicanálise, a adolescência não existe como conceito, mas devemos estar abertos aos significantes da cultura da nossa época e deles nos servirmos para que seja mantido o corte […]

Share
This

A proposição de nos debruçarmos sobre a “queda do falocentrismo” diz respeito a um para além do que consideramos como a significação fálica decorrente da instalação do Nome-do-Pai, desde a concepção clássica da neurose em Lacan. Miller aponta para o momento do desencadeamento da psicose de Schreber, no qual, a separação dos três registros se […]

Share
This

1) “Ao mesmo tempo, a característica principal dessa ‘organização genital infantil’ é sua diferença da organização genital final do adulto. Ela consiste no fato de, para ambos os sexos, estar em consideração apenas um órgão genital, ou seja, o masculino. O que está presente, portanto, não é uma primazia dos órgãos genitais, mas uma primazia do falo.” (p. 180) 2) […]

Share
This

Há muitos pontos em comum entre o que se destaca no período que convencionamos chamar de adolescência e no debate em curso na cultura com relação ao tema dos gêneros: a ênfase em metamorfoses exuberantes, por exemplo, na reconfiguração identitária, ou ainda nos embaraços e conquistas com relação à sexuação. Quero me concentrar nas questões […]

Share
This

Em “A linguagem aparato do gozo”(1), Miller aponta as distinções quanto à produção das condições que determinam “o encontro do objeto na puberdade” em Freud e em Lacan. O que Miller postula é que em Lacan o conceito de sexualidade ganha novos matizes, pois, se para Freud o encontro com o objeto encontra-se determinado pela […]

Share
This

Obrigada a Sampa pela oportunidade de dizer umas breves palavras deste assunto que está suscitando tantas, e por tantos lugares por onde a EBP ronda. Estamos atrás dos invariantes e das variações da adolescência, assunto que goza de péssima imprensa desde que fora inventado. Finais do século XVIII, início do XIX, inventa-se junto às outras […]

Share
This

​​​​O amor cortês é uma poética inventada para “Cantar as Mulheres” na idade média. Lacan se interessou pelo caráter inédito de uma encenação que exige gestos e palavras refinadas. Momento de separação entre as funções femininas e maternas sustenta a impossibilidade do objeto amado. O trovador aspirante a amante deve cumprir etapas e suplicar humildemente […]

Share
This

“Quanto a esse mesmo ponto, convém indagar se a mediação fálica drena tudo o que pode se manifestar de pulsional na mulher, notadamente toda a corrente do instinto materno. Por que não dizer aqui que o fato de que tudo o que é analisável é sexual não implica que tudo o que é sexual seja […]

Share
This

Gostaria de apresentar algumas das questões que o debate em curso na cultura com relação à explosão dos gêneros nos coloca, a nós analistas. Que explosão? São 56 opções para definição de gênero de alguém que se inscreva hoje no facebook americano, 17, no brasileiro. A ideia é que haja gêneros para todos os gostos, desde os […]

Share
This

A adolescência é um momento de passagem, ela se dá entre, um intervalo que envolve um antes e um depois, a infância e a idade adulta. Nela algo se transforma, por isso traz algo de novo. Quando o apelo ao Outro tinha lá seus encantos havia rituais de passagem e um discurso que mais ou […]

Share
This

Gostaria de parabenizar, nessa mesa de abertura, a Seção São Paulo pelo intenso trabalho feito até aqui atraindo tanto interesse! Gostaria de parabenizar e agradecer a Maria Josefina Sota Fuentes, coordenadora dessas Jornadas e na sua pessoa, toda sua comissão organizadora. Difícil reconhecer que não me cabe mais essa tarefa, que a fila andou e […]

Share
This

​A transferência enquanto suposição de saber está teorizada por Lacan, na transição da primeira para a segunda década do seu ensino. Sobre esta teorização Miller, em 2004(1), comenta, que a chave do que Lacan aí sustenta não está no Sujeito suposto saber e sim no paradoxo que está em jogo nesta suposição.​ Este paradoxo pode […]

Share
This

sossegue coração/ainda não é agora/a confusão prossegue/sonhos a fora/calma calma logo mais a gente goza/perto do osso/a carne é mais gostosa (Paulo Lewinski) Pretendo introduzir de modo breve uma questão suscitada pela clínica, apontando algumas referências teóricas para serem exploradas posteriormente. No tempo do despertar do desejo, verificamos na prática clínica, jovens adolescentes se entregando […]

Share
This