BIBLIÔ 11 – 2da Série

por

A- / A+

Editorial

Mais um Bibliô, o décimo primeiro, proveniente de uma iniciativa da Diretoria de Biblioteca da EBP, que vem dando certo.

Desde o primeiro número essa idéia tem se mostrado um instrumento de grande utilidade, tanto para os membros, aderentes e correspondentes das Seções e Delegações da Escola, como também para nossos inúmeros leitores, amigos e colaboradores.

Numa configuração moebiana, o Bibliô leva ao nosso “exterior” o nosso “interior”, para onde envia e recebe muito mais do que simples informações, ao funcionar como um dos elementos de nossa formação permanente, enquanto analistas.

Nas mais variadas informações dessa publicação virtual, o leitor encontra as atividades que serão desenvolvidas nas seções e delegações, seja no âmbito das nossas sedes, seja em espaços da cidade que se interessam pela psicanálise de orientação lacaniana. Neste número continuamos a publicar textos sobre o importante livro de Joseph Attié (Mallarmé, O Livro), que acaba de ser traduzido em português e continua sendo lançado e celebrado em nosso meio.

Nossa constante colaboradora, Mirta Zbrun, além de comentar a noite de lançamento deste livro, na Maison Française do Rio de Janeiro, apresenta sua nova equipe de pesquisadores do Bibliô Referências, agora dedicado ao Seminário VI de Lacan, O desejo e sua interpretação.

Nossos leitores vão poder acompanhar neste número uma resenha, realizada por Ana Martha Maia, responsável pelo intercâmbio internacional das Bibliotecas, percorrendo os artigos da Colofon 34, revista anual publicada pela FIBOL (Federação Internacional das Bibliotecas de Orientação Lacaniana). O número trata, como muito bem disse a autora na resenha, “da importância que tem o dinheiro na economia do gozo e seu manejo na prática analítica”. Colofon 34 pode ser adquirida em nossas Seções e Delegações.

Será um grande prazer para o leitor, tenho certeza, a leitura da brilhante entrevista realizada por Monica Hage e Júlia Solano com Cristina Leifer, atriz e mentora do projeto baiano, “Bergman no Teatro”. De forma original, a artista, ao responder a uma pergunta de uma das entrevistadoras sobre a obra de Bergman e a psicanálise, recorre ao tema da violência, que estamos tratando em nossas jornadas locais e no encontro nacional.

O Bibliô 11 continua a cumprir seu papel, que vai além do que se espera de um boletim informativo. Esse número explora, cada vez mais, a função de elemento relevante na edificação do Uno da nossa Escola, dentro da pluralidade das nossas particularidades regionais. Esse Bibliô nos traz projetos e propostas para um futuro trabalho dentro de nossa comunidade: preparação do próximo Encontro Nacional, o XX, que tratará de violência e trauma urbanos, mas também podemos tomá-lo como um convite para pensarmos nossa prática psicanalítica, sob a ótica do último ensino de Lacan.

Boa leitura!

Fernando Coutinho

BIBLIÔ 11 – 2da SERIE