Cartéis

Cartéis

O cartel é um dos dispositivos de base da Escola de Lacan e deve funcionar como porta de entrada para a Escola. Compõe-se de três pessoas no mínimo e de cinco no máximo, sendo quatro a medida considerada certa, que se reúnem e escolhem Mais Um que, sendo qualquer Um não pode ser ninguém, nos indica Lacan. O Mais Um deve zelar pelos efeitos internos e provocar a elaboração. Resgatamos aqui a passagem de “D’Ecolage” na qual Lacan acentua o lugar do cartel como órgão de base da Escola: “Restauro em seu favor o órgão de base retomando a fundação da Escola – ou seja, o cartel – do qual, feita a experiência, aprimoro a formalização”. Seus componentes se escolhem em torno de um assunto de interesse comum, a partir do qual cada um recorta sua própria questão. Ao final de dois anos de trabalho devem se desanodar, expondo o produto de cada um. Podem participar de um cartel aqueles que praticam a psicanálise ou queiram estudá-la, sejam Membros da Escola ou não, desde que consintam com sua declaração à Escola. Os cartéis são da Escola.

O Cartel tem funcionado especialmente como um dispositivo que produz laço entre a Escola, o Instituto e as pessoas que estão aproximando-se da Orientação Lacaniana.

2021

I – Cartéis

Seguindo a orientação lacaniana, tomar o Cartel como instrumento necessário à formação do analista – para elaboração do saber construído – que serve ao discurso analítico e à Escola.

Para tanto, propomos:

  1. Incentivar a criação de novos cartéis, inclusive com o tema do X ENAPOL: O novo no amor – modalidades contemporâneas dos laços (Santiago, 9 e 10 de outubro 2021). Estão programadas 7 atividades preparatórias, às 20h da última quarta feira do mês (de março a setembro de 2021), que ficarão a cargo de 3 cartéis.
  2. Criar, na Biblioteca, uma seção dedicada aos trabalhos elaborados em Cartel.
  3. Atualização dos cartéis em funcionamento e declaração dos novos. Atualmente na EBP-Bahia estamos com 21 cartéis.
  4. Realizar as Jornadas de Cartéis: 18/09/21.

II – Intercambio

  • Incentivar a comunicação e o intercâmbio on-line dos membros da Escola e associados do IPB assim como a divulgação permanente das nossas atividades – incluindo as Jornadas, Encontro de Cartéis e as atividades da Biblioteca.
  • Ênfase no trabalho de Escola articulado à EBP e suas Seções, como também aos Institutos do Campo Freudiano, especialmente com o IPB.
  • Intercambio com outros saberes, interagindo com a Diretoria de Biblioteca, participando de sua programação, que visa articular a psicanálise com a cidade e a cultura.
  • Estreitar a comunicação com a Coordenação do X ENAPOL visando uma ampla divulgação e incentivo aos membros da Escola, associados, alunos e participantes do IPB, para a elaboração de trabalhos, inclusive, pela via do cartel.
Iordan Gurgel
Diretor de Cartéis e Intercâmbio
X