BIBLIOTEMAS

AULA 1

PRODUÇÃO DOS QUATRO DISCURSOS

ARISTÓTELES. Política. São Paulo: Martin Claret, 2007.

BARRÈS, Maurice (1862-1923). Romancista, jornalista e político francês.

BICHAT, X. Physiological Researches on Life and Death. (1827) Transl. by F. Gold. Reprint. New York: Arno Press, 1977.

FREUD, S. Além do princípio do prazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020. (Obras incompletas de Sigmund Freud)

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

LACAN, J. De nossos antecedentes. (1966) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 69-76.

LACAN, J. O seminário, livro 16: De um Outro ao outro. (1968-1969) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

LACAN, J. Kant com Sade. (1962) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 776-806.

LACAN, J. O seminário, livro 2: O eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise. (1954-1955) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1985. (Sobre o Mênon, de Platão)

MARX, K. Teorias da mais-valia: história crítica do pensamento econômico. In: ___. O capital. Livro 4. v. II. Trad. Reginaldo Sant’Anna. São Paulo: Difel, 1980.

PLATÃO. Mênon. Trad. Maura Iglesias. São Paulo: Loyola, 2002


AULA 2

O MESTRE E A HISTÉRICA

Ceticismo grego

Empédocles (século V a.C).

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

MARX, K. Teorias da mais-valia: história crítica do pensamento econômico. In: ___. O capital. Livro 4. v. II. Trad. Reginaldo Sant’Anna. São Paulo: Difel, 1980.

Pré-socráticos (século V e VI aC).

RICOEUR, Paul (1913-2005). Filósofo e antropólogo francês que combinou a descrição fenomenológica com a interpretação hermenêutica.

Referências além do texto:

COTTET, S. Freud e o desejo do psicanalista. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1989.

FREUD, S. A interpretação dos sonhos. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 4. Rio de Janeiro: Imago, 1996. (Em referência à noção de desejo como definição do inconsciente.)

LACAN, J. Radiofonia. (1970) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 400-447. (Em referência ao fato de que o histérico desafia o Mestre a produzir conhecimento.)

LACAN, J. Alocução sobre o ensino. (1970) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 302-310. (Em referência às quatro figuras históricas que representam o início de cada discurso: Licurgo (Mestre), Carlos Magno (Universidade), Sócrates (Histérico) e Freud (Analista).)

LACAN, J. Talvez em Vincennes. (1975) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 316-318.

LACAN, J. O aturdito. (1972) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 448-497. (Em referência à frase “Que se diga fica esquecido por trás do que é dito naquilo que se ouve” e sua importância para a interpretação.)

LACAN, J. Posfácio ao Seminário 11. (1973) In: ___. Outros escritos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 503-507. (Em referência à história judaica “por que você mente quando me diz a verdade?”.)

MILLER, J.-A. Los usos del lapso. In: ___. Los cursos psicoanalíticos. Buenos Aires: Paidós, 2004. (Primeira parte, em referência ao que trata da sessão analítica.)

WAJCMAN, G. O discurso da histérica. Disponível em: <https://www.lacan.com/hystericdiscf.htm>.
AULA 3
SABER, MEIO
DE GOZO
ARISTÓTELES. Órganon: Categorias, Da Interpretação, Analíticos anteriores, Analíticos posteriores, Tópicos, Refutações sofísticas. Tradução, textos adicionais e notas de Edson Bini. Bauru: EDI-PRO, 2005.

FREUD, S. Além do princípio do prazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020. (Obras incompletas de Sigmund Freud)

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do ego. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 18. Rio de Janeiro: Imago, 1990. p. 89-179.

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.
KIERKEGAARD, S. A repetição. Trad., int. e notas de José Miranda Justo. Lisboa: Relógio d’Água, 2009.

LACAN, J. Da psicose paranoica em suas relações com a personalidade. (1932) 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

LAPLANCHE, J.; LECLAIRE, S. The unconscious: A psychoanalytic study. French Freud: Structural Studies in Psychoanalysis, n. 48, p. 118-175, 1972.

PIÉRON, H. A sensação. Lisboa: Publicações Europa América, 1952.

Referências além do texto:

LACAN, J. Prefácio a uma tese. (1969) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 389-399.

LACAN, J. Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o psicanalista da Escola. (1967) Opção Lacaniana – Revista Brasileira Internacional de Psicanálise, São Paulo, n. 17, 1996. (Em referência ao conhecimento absoluto e ao conhecimento como efeitos de verdade.)

MILLER, J.-A. Os seis paradigmas do gozo. Opção Lacaniana Online, ano 3, n. 7, mar. 2012.


AULA 4

VERDADE, IRMÃ DO GOZO

ARAGON, L. O camponês de Paris. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1996.

ÉLUARD, P. O duro desejo de durar. (1946) poema.

FREGE, Friedrich Ludwig Gottlob (1848-1925). Matemático. Lacan poderia estar se referindo à sua obra Begriffsschrift (alemão para, grosso modo, “concept-script”), um livro sobre lógica publicado em 1879.

FREUD, S. Os chistes e sua relação com o inconsciente. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 7. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

FREUD, S. O infamiliar [Das Unheimliche] – Edição comemorativa bilíngue (1919-2019): Seguido de O homem da areia, de E. T. A. Hoffmann. São Paulo: Autêntica Editora, 2019.

FREUD, S. Uma criança é espancada: uma contribuição ao estudo da origem das perversões sexuais. (1919) In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. 2.ed. Rio de Janeiro : Imago, 1987. vol.17, p.225-253.

HUSSERL, E. Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica: introdução geral à fenomenologia pura. Trad. Márcio Suzuki. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2006.

LACAN, J. Radiofonia. (1970) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 400-447. (Em referência ao fato de que o histérico desafia o Mestre a produzir conhecimento.)

LAFORGUE, P. História da metade do frango. (Conto tradicional: Petit Poucet deviendra grand.) Bourdeaux: Mollat Editeur, 1995.

POLITZER, G. Princípios elementares da Filosofia. 9. ed. Lisboa: Prelo, 1979.

QUINE, Willard Van Orman (1908-2000).

RUSSELL, B. Principia Mathematica. (1910). 2. ed. London: By Bradford & Dickens, 1937.

SADE, Marquês de. História de Juliette ou as prosperidades do vício. Trad. rev. Rui Santana Brito. Lisboa: Guerra & Paz, 2007.

SÓFOCLES. Antígona. Trad. M. H. da R. Pereira. 6. ed. Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus Logico-Philosophicus. Trad. Luiz Henrique Lopes dos Santos. 3. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

William of Ockham (1285-1347). Franciscano inglês, lógico e teólogo que se supõe nasceu em Ockham, um vilarejo em Surrey.
Referências além do texto:

FREUD, S. A concepção psicanalítica da perturbação psicogênica da visão. (1910) In: ___. Cinco lições de psicanálise, Leonardo da Vinci e outros trabalhos. (1910 [1909]). Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 11. Direção-geral da tradução de Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1976. p. 193-203.

LACAN, J. Televisão. (1973) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 508-543.

LACAN, J. Lituraterra. (1971) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 15-25.

MILLER, J.-A. Os seis paradigmas do gozo. Opção Lacaniana Online, São Paulo, ano 3, n. 7, mar. 2012.

MILLER, J.-A. Clínica irônica. In: ___. Matemas I. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1996.

MILLER, J.-A. Elementos de biologia lacaniana: conferências feitas em 1999. Belo Horizonte: Escola Brasileira de Psicanálise, 1999.


AULA 5

O CAMPO LACANIANO

CARNOT-CLAUSIUS (1796-1832). Físico e engenheiro francês que trabalhava com termodinâmica.

FELLINI, Federico. Satyricon. (filme)

FREUD, S. O sonho da Bela Açougueira. In: ___. A interpretação de sonhos. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 4. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

FREUD, S. Fragmento da análise de um caso de histeria. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 7. Rio de Janeiro: Imago, 1972.

FREUD, S. Além do princípio do prazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020. (Obras incompletas de Sigmund Freud)

HARTMANN, Kris and Loewenstein. Analistas em Berlim.

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

HORÁCIO (65-8 aC.). Poeta romano.

LACAN, J. A direção do tratamento e os princípios de seu poder. (1958) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 591-652.

LACAN, J. Formulações sobre a causalidade psíquica. In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 152-196.

MARX, K. O capital. v. 2. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

MASTERS, William H. e JOHNSON, Virginia E. Pioneiros da pesquisa sobre a natureza da resposta sexual humana desde 1957 a 1990.

MEYER, Julius (1830-1895). Químico alemão. Pioneiro em desenvolver a tabela periódica dos elementos químicos.

NEWTON, Isaac (1643-1727).

PETRONIUS, Satirycon. O Satyricon é um exemplo de sátira, diferente das sátiras formais de Horácio ou Juvenal.

SMITH, A. A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

Trimalchio. Personagem do Satyricon de Petronius.

Referências além do texto:

BASSOLS, M. Distanciamento social – Abordagem subjectiva. Conferência da Comunidade Valenciana da ELP. 15 de maio de 2020.

LACAN, J. Conferência em 1975, publicada em Scilicet, n. 6/7. (Em referência à afirmação de Lacan: “A análise não deve ser levada longe demais. Quando um analisando pensa que está feliz em partir, é o suficiente”.)

LACAN, J. Conferência de Genebra sobre o sintoma. (1975) Opção Lacaniana, São Paulo, n. 23, p. 6-16, 1998.

MILLER, J.-A. Un esfuerzo de poesia. Buenos Aires: Paidós, 2016.

SPITZ, René A. (1887-1974). Psicanalista austro-americano. Ele é mais conhecido por sua análise de bebês hospitalizados, nos quais encontrou ligações entre marasmo e morte com bebês não maternos.


AULA 6

O MESTRE CASTRADO

BREUER, J.; FREUD, S. Estudos sobre a histeria. (1893-1895) In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de S. Freud. v. 2. Trad. J. Salomão. Rio de janeiro: Imago, 1996. p. 11-319. (BREUER, J. Studies on Hysteria, Case of Anna O., SE vol 2.)

FREUD, S. Novas conferências introdutórias sobre psicanálise e outros trabalhos. (1932-1936) In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de S. Freud. v. 22. Rio de Janeiro: Imago, 1996. p. 85-112. (FREUD, S. Novas conferências introdutórias sobre psicanálise e outros trabalhos. Conferência XXXV: A questão de uma Weltanschauung. SE vol XXII.)

FREUD, S. Fragmento da análise de um caso de histeria. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de S. Freud. v. 7. Rio de Janeiro: Imago, 1972.

FREUD, S. A interpretação de sonhos. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de S. Freud. v. 4. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

FREUD, S. Histeria. (1888) In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de S. Freud. v. 1. Trad. J. Salomão. Rio de janeiro: Imago, 1996. p. 77-97. (FREUD, S. Studies on Hysteria. Case of Emmy von N., SE vol 2.)

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do Eu. (1921) In: ___. Psicologia das massas e análise do Eu e outros textos (1920-1923). Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. p. 13-113. (Obras completas, 15)

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

MARX, Karl. O capital. v. 2. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.


AULA 7

ÉDIPO E MOISÉS E O PAI DA HORDA

DARWIN, C. A origem das espécies. 1859. São Paulo: Ubu e Edipro, 2018.

FREGE, Friedrich Ludwig Gottlob (1848-1925). Matemático. Lacan poderia estar se referindo à sua obra Begriffsschrift (alemão para, grosso modo, “concept-script”), um livro sobre lógica publicado em 1879.
FREUD, S. Totem e tabu. (1914) In: ___. Totem e tabu, Contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos (1912-1914). São Paulo: Companhia das Letras, 2012. (Obras completas, 11)

FREUD, S. Moisés e o monoteísmo, Compêndio de psicanálise e outros textos (1937-1939). São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

GAUSS, Johann Carl Friedrich (1777-1855). Matemático, astrônomo e físico.

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

JONES, Ernest. Vida e obra de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1970.

KROEBER, Alfred Louis (1876-1960). Antropologista que criticou Totem e tabu.

Livro de Oseias. Um dos livros da Bíblia hebraica. De acordo com a ordem tradicional da maioria das Bíblias hebraicas, é o primeiro dos doze Profetas Menores.

LACAN, J. O seminário, livro 15: O ato psicanalítico. (1967-1968) Inédito.

LACAN, J. A ciência e a verdade. (1966) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 869-892. (Nesse texto, Lacan fala sobre o sujeito da ciência e afirma que o sujeito sobre o qual opera a psicanálise nada mais é do que o sujeito da ciência.)

LACAN, J. Os nomes do pai. (1963) In: ___. Nomes-do-Pai. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

LÉVI-STRAUSS, C. A análise estrutural dos mitos. In: ___. Antropologia Estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

MARX, K. O capital. v. 2. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

PASCAL, Blaise (1623-1662). Matemático.

RIEMANN, Bernhard (1826-1866). Matemático alemão.

SÓFOCLES. Édipo rei. Trad. Domingos Paschoal Cegalla. Rio de Janeiro: DIFEL, 2001.

Referências além do texto:

LACAN, J. A direção do tratamento e os princípios de seu poder. (1958) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 591-652.

LACAN, J. Subversão do sujeito e dialética do desejo no inconsciente freudiano. (1960) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 807-842.

LACAN, J. O seminário, livro 16: De um Outro ao outro. (1968-1969) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

MILLER, J.-A. Curso de Orientação Lacaniana: O ser e o Um. 2011.

MILLER, J.-A. Un esfuerzo de poesia. Buenos Aires: Paidós, 2016.


AULA 8

DO MITO À ESTRUTURA

BOONS, M. C. Le meurtre du père chez Freud. L’inconscient, n. 5: La Paternité, 1968.

DOSTOIÉVSKI, F. M. Os irmãos Karamazov. São Paulo: Editora 34, 2001.

FREUD, S. Totem e tabu. (1913). In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 13. Rio de Janeiro: Imago, 1990. p. 11-125.

FREUD, S. A mulher do açougueiro. In: ___. A interpretação dos sonhos. Os processos oníricos. (1900) Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 4. Rio de Janeiro: Imago, 1972.

LÉVI-STRAUSS, C. A análise estrutural dos mitos. In: ___. Antropologia Estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

LÉVI-STRAUSS, C. Mitológicas I – O cru e o cozido. Trad. Beatriz Perrone-Moisés. Rio de Janeiro: Cosac Naify, 2004. 446p.

MASSIS, Henri (1886-1970). Escritor francês. Lacan atribui a ele a frase “Les murs sont bons” (As paredes são boas).

SORGE, Friedrich (1828-1906). Agente duplo. Ele foi declarado herói da URSS em 1964. Responsável por uma rede em Tóquio, foi executado pelos japoneses em 1941.

STEIN, C. Le père mortel et le père immortel. L’inconscient, n. 5, La paternité, p. 59-100, 1968.
Referências além do texto:

LACAN, J. O seminário, livro 7: A ética da psicanálise. (1959-1960) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1995. p. 91.

LACAN, J. O triunfo da religião precedido de Discurso aos católicos. Trad. André Telles. Revisão técnica de Ram Mandil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

LACAN, J. O seminário, livro 10: A angústia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005. p. 440.

LACAN, J. Nomes-do-Pai. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

LACAN, J. O seminário, livro 5: As formações do inconsciente. (1957-1958) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

MILLER, J.-A. Todo el mundo es louco. (2007-2008) Buenos Aires: Paidós, 2015.

MILLER, J.-A. O inconsciente Real. Rio de Janeiro: Escola Brasileira de Psicanálise, 2007.

MILLER, J.-A. El partenaire-síntoma. Buenos Aires: Paidós, 2008.

MILLER, J.-A. Uma fantasia. Opção Lacaniana, São Paulo, n. 42, p. 7-18, 2005.
AULA 9 – A FEROZ IGNORÂNCIA DE YAHVÉ
CAQUOT, André (1923-2004). Orientalista francês, especializado em história e civilizações semíticas, professor de hebraico e aramaico no Collège de France.

FREUD, S. Moisés e o monoteísmo. (1934) In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 23. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

GRESSMANN, Hugo (1877-1927). Proeminente erudito do Antigo Testamento na Alemanha protestante e amigo e associado do eminente erudito Hermann Gunkel. Ele era um membro da escola de história das religiões.

Livro de Oseias. Um dos livros da Bíblia Hebraica. De acordo com a ordem tradicional da maioria das Bíblias hebraicas, é o primeiro dos doze Profetas Menores.

MEYER, Édouard (1855-1930). Historiador alemão. Citado por Freud em “Moisés e o monoteísmo”.

SELLIN, Ernst. Mosel e sua importância para a história religiosa judaico-israelita. (1922)

Talmude. Texto central do judaísmo rabínico e a fonte primária da lei religiosa judaica e da teologia judaica.

Referências além do texto:

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do ego. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 18. Rio de Janeiro: Imago, 1990. p. 89-179.
LACAN, J. Estou falando com as paredes: conversas na Capela de Sainte-Anne. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2011.

MILLER, J.-A. Un esfuerzo de poesia. Buenos Aires: Paidós, 2016.

MILLER, J.-A. El partenaire-síntoma. Buenos Aires: Paidós, 2008.


AULA 10

Os sulcos da alethosfera

ARQUIMEDES. Matemático, físico, engenheiro, inventor e astrônomo grego. Embora poucos detalhes de sua vida sejam conhecidos, ele é considerado um dos principais cientistas da Antiguidade Clássica.

CAVALIERI, Bonaventura (1598-1647). Matemático italiano e jesuíta. Conhecido por seu trabalho sobre os problemas de óptica e movimento, trabalho em indivisíveis, os precursores do cálculo infinitesimal e a introdução de logaritmos na Itália.

DESCARTES, R. Discurso do método. (1637) 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

EUCLIDES (século III aC). Matemático grego, muitas vezes referido como o “fundador da geometria” ou o “pai da geometria”. Ele atuou em Alexandria durante o reinado de

FIBONACCI (1170- ? ). Também conhecido como Leonardo Bonacci, Leonardo de Pisa ou Leonardo Bigollo Pisano, foi um matemático italiano da República de Pisa, considerado “o matemático ocidental mais talentoso da Idade Média”.

FREUD, S. O mal-estar na civilização. In: ___. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 21. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

LEIBNIZ, Gottfried Wilhelm (1646-1716). Proeminente polímata alemão e um dos mais importantes lógicos, matemáticos e filósofos naturais do Iluminismo.

LACAN, J. Lacan na Itália 1953-1978. Palestra de Jacques Lacan proferida na Universidade de Milão em 25 de março de 1974. La Salamandra, 1978. p. 104-147.

MILLER, J.-A. Uma fantasia. Opção Lacaniana, São Paulo, n. 42, p. 7-18, 2005.

PLATÃO. Górgias. Trad. Manoel de Oliveira Pulquério. Lisboa: Edições 70, 1997. (Diálogo socrático escrito por Platão por volta de 380 aC. O diálogo retrata uma conversa entre Sócrates e um pequeno grupo de sofistas em um jantar.)

PTOLOMEU I. Lacan provavelmente está se referindo ao Livro V.

SELLIN, E. Mosel e sua importância para a história religiosa judaico-israelita (1922).

VERNADSKY, V. Biosfera. Rio de Janeiro: Dantes, 2019.


AULA 11

A IMPOTÊNCIA DA VERDADE

ARISTÓTELES. Ética a Nicômacos. Brasília: Editora UnB, 2011.

ARISTÓTELES. Ética a Eudemo. Tradução do grego, textos adicionais e notas de Edson BINI. São Paulo: Edipro, 2015.

ARQUIMEDES DE SIRACUSA (288-212 aC).

BÁTHORY, Elizabeth (1560-1614). Nobre húngara da família nobre de Báthory, proprietária de terras no Reino da Hungria (hoje Hungria, Eslováquia e Romênia). Báthory foi rotulada pelo Guinness World Records como a assassina feminina mais prolífica.

CALVIN, John (1509-1564). Teólogo francês.

DESCARTES, René (1596-1650). Filósofo francês.

FREUD, S. Análise finita e infinita. In: ___. Fundamentos da clínica psicanalista. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

KANT, I. Crítica da razão prática. Trad. Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Ed. bilíngue.
KAUFFMANN, Pierre (1938-2017). Filósofo e psicanalista.

KOJÈVE, Alexandre (1902-1968). Filósofo, político e professor de Lacan.

LAPLANCHE, Jean (1924-2012).

LACAN, J. “De uma reforma no seu Buraco” “Sobre uma reforma no seu buraco”. Artigo que seria publicado no Le Monde em 1969. Dispnível em: <http://www.lineofbeauty.org/index.php/S/article/view/63/82>.

LUTHER, Martin (1483-1546). Professor alemão de teologia, compositor, padre, monge agostiniano e uma figura seminal na Reforma Protestante.

MASSON, J. M. A correspondência completa de Sigmund Freud para Wilhelm
Fliess. Rio de Janeiro: Imago, 1986.

Maine de Biran (1766-1824). Filósofo e psicólogo francês.

MARX, K. O capital. v. 2. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.
Referências além do texto:

BISHOP, M.; GREEN, M. Philanthrocapitalism.

KOJÈVE, A. Introdução à leitura de Hegel. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2002.
LACAN, J. O aturdito. (1972) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 448-497.

LACAN, J. Nota italiana. (1974) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2003. p. 311-315.

LACAN, J. O tempo lógico e a asserção de certeza antecipada: um novo sofisma. In: ___. Escritos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 197-213.

LACAN, J. A coisa freudiana ou Sentido do retorno a Freud em psicanálise. (1955) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. p. 402-437.

LACAN, J. O seminário, livro 16: De um Outro ao outro. (1968-1969) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

LACAN, J. Radiofonia. (1970) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 400-447.

LACAN, J. Subversão do sujeito e dialética do desejo no inconsciente freudiano. (1960) In: ___. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. p. 807-842.

LAURENT, É. quarto 118 lire Lacan “Radiophonie”: la place de “Radiophonie” dans l’enseignement de Lacan & Hélène Bonnaud: “Radiophonie”, questions v, vi et vii.

MILLER, J.-A. La psychanalyse mise à nu par son célibataire – Psychoanalysis Stipped Bare by its Bachelor. Conference in Clinical Section of Bordeaux, June 1992. Bulletin de la NLS, 2007.

MILLER, J.-A. De la naturaleza de los semblantes. (1991-1992) Buenos Aires: Paidós, 2002.


AULA 12

O PODER DOS IMPOSSÍVEIS

Atalia. Tragédia escrita pelo dramaturgo francês Jean Racine (Cena I, ato 1).
BALZAC, H. Reverso de la historia contemporanea. Buenos Aires: Losada, 2009.

DIDEROT, D. O sobrinho de Rameau. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Os Pensadores)

GALILEI, Galileo (1564-1642). Astrônomo italiano, filósofo, engenheiro, matemático e físico, intimamente relacionado à Revolução Científica.

GOETHE, Johann Wolfgang von (1749-1832). Poeta, romancista e cientista alemão que traduziu Diderot.

GRACIÁN, B. El Criticon. Createspace, 2004. (Publicado em três partes em 1651, 1653 e 1657. É considerada a obra-prima de seu autor e um dos ápices da narrativa filosófica espanhola. É a obra literária que resume a visão filosófica de Baltasar Gracián na forma de um grande épico moral.)

HEGEL, G. W. F. A fenomenologia do espírito. Trad. P. Meneses. Petrópolis: Vozes, 1999.

KANT, Immanuel (1724-1804). Filósofo alemão, precursor do idealismo.

LACAN, J. Radiofonia. (1970) In: ___. Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. p. 400-447.

LEIBNIZ, Gottfried Wilhelm (1646-1716). Filósofo, matemático, lógico, teólogo, jurista, bibliotecário e político alemão.

LES TEMPS MODERNES. Revista francesa de conteúdo político, literário e filosófico. Recebeu o mesmo título do filme de Charles Chaplin e foi fundada em 1945 por Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir e Maurice Merleau-Ponty.

MINUTE. Jornal francês, contemporâneo do Seminário.

PASCAL, Blaise (1623-1662). Matemático.

SCILICET. Primeira revista criada por Lacan em 1968 para a ECF.

SCHILLER, Friedrich (1759-1805). Poeta, dramaturgo, filósofo e historiador alemão.


OUTRAS REFERÊNCIAS DO TEMA DISCURSOS

AFFONSO, D. Dangerous Attraction, politics and religion. Disponível em : <http://uqbarwapol.com/dangerous-attraction-politics-and-religion-by-daniela-affonso-ebp/>.
ALBERTI, C. Só existe isso, o laço social. Lacan Cotidiano – Sobre o Populismo, 15/8/2017. Disponível em: ampblog2006.

ALVAREZ, P. (2008) Antecedentes do discurso capitalista. @gente: Revista Digital de Psicanálise, Salvador, n. 5, p. 10-14. Disponível em: <http://www.ebp.org.br/bahia/agente/agente_digital_05.pdf>.

ANSERMET, F. El psicoanálisis y las travesias contemporáneas. Consecuencias, n. 24, 2020. Disponível em:
<http://revconsecuencias.com.ar/ediciones/024/template.php?file=arts%2Falcances%2Fentrevista-a-francoisansermet.html&fbclid=IwAR3crs2047Dem6s5EsvAZ370kZcIXGJ449N6UvvxhHvN2XtRR5JjDhYiy98>.

BROUSSE, M-H. Mulheres e discursos. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2019. p. 37-41.

CAMALY, G. La sexualidad en tiempos de feminismos. Disponível em: <http://uqbarwapol.com/la-sexualidad-en-tiempos-de-feminismos-gabriela-camaly-eol/>.

CARETTI, J. ¿Por qué el discurso capitalista concierne al psicoanálisis? Disponível em: <https://zadigespana.com/2019/06/23/por-que-el-discurso-capitalista-concierne-al-psicoanalisis/?fbclid=IwAR39950gQ0voc2mZwc_tqVn3znID2QPTMl2tWrUF4bG2rsGIjgbec7AqzI0/>.

CARETTI, J. Nota sobre la incidencia del psicoanálisis en la política: el capitalismo y el santo. Disponível em: <https://zadigespana.com/2018/06/23/nota-sobre-la-incidencia-del-psicoanalisis-en-la-politica-el-capitalismo-y-el-santo/> e <http://lalibertaddepluma.org/joaquin-caretti/>.

CASTRO, M. P. El síntoma como sesgo en la época de la tecnociencia. Discurso capitalista, ciencia y mercado. Consecuencias, Buenos Aires, n. 12, mayo 2014. Disponível em: <http://www.revconsecuencias.com.ar/ediciones/012/template.php?file=arts/Variaciones/Discurso-capitalista-ciencia-y-mercado.html>.

GOLDENBERG, M. El discurso capitalista. Disponível em: <http://blog–elephant.blogspot.com.ar/2013/06/el–discurso–capitalista.html>.

LAIA, S. Análise e interpretação de uma efusão coletiva: os discursos, a ação lacaniana a partir de maio de 68 e suas consequências. Almanaque Online, n. 4.

LAURENT, É. Discursos y goces malos. Revista Freudiana, Barcelona, RBA Libros, n. 85, p. 35-49, 2019.
LAURENT, É. Un psicoanalista, intérprete en la discordia de los discursos. Madrid: Gredos, 2019.

LAURENT, É. Os discursos que matam. Correio, São Paulo, n. 82, p. 35-52, out. 2019.

MARRET MALEVAL, S.; PFAUWADEL, A. The Paths of Renewal of Psychoanalysis are Numerous. Disponível em: <http://uqbarwapol.com/the-paths-of-renewal-of-psychoanalysis-are-numerous-by-sophie-marret-maleval-and-aurelie-pfauwadel/> e <https://www.lemonde.fr/idees/article/2019/04/01/les-voies-de-renouvellement-de-la-psychanalyse-sont-nombreuses_5444312_3232.html>.

MILLER, J.-A. La utilidad directa, 2005. Disponível em: <http://www.eol.org.ar/template.asp?Sec=publicaciones&SubSec=on_line&File=on_line/psicoanalisis_sociedad/miller-ja_lautilidad.html>.

MILLER, J.-A. Quando os desejos se tornam direitos. aSEPHallus Revista de Orientação Lacaniana, Rio de Janeiro, v. VII.

MILLER, J.-A. A era do homem sem qualidades. Disponível em:
<http://www.opcaolacaniana.com.br/antigos/n1/pdf/artigos/JAMera.pdf>.

MILLER, J.-A. Intuições milanesas. Opção Lacaniana Online.
Disponível em: <http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_5/Intui%C3%A7%C3%B5es_milanesas.pdf>.

MILLER, J.-A. O real no século XXI. Disponível em <https://wapol.org/pt/articulos/TemplateImpresion.asp?intPublicacion=38&intEdicion=13&intIdiomaPublicacion=9&intArticulo=2493&intIdiomaArticulo=9>

MILLER, J.-A. El futuro del Mycoplasma Laboratorium. Disponível em <https://elp.org.es/el_futuro_del_mycoplasma_laboratorium_ja/>
PITTERI, M. B. O Analista e o Mestre – Uma questão de Política… e de Ética. Disponível em: <https://ebp.org.br/sp/ecos-de-quarta-o-analista-e-o-mestre-uma-questao-de-politica-e-de-etica/>.

ROSA, M. Jacques Lacan e a clínica do consumo. Psicologia Clínica [online], v. 22, n. 1, p. 157-171, 2010. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/pc/v22n1/a10v22n1.pdf>.

SORIA, N. Síntomas del discurso capitalista. (2019) Disponível em: <https://www.aacademica.org/000-111/517.pdf>.
TIZIO, H. O gozo de lalíngua e o discurso. Disponível em: <https://congresoamp2018.com/pt-pt/textos-del-tema/goce-lalengua-discurso/>.

VENTURA, O. La sombra de una sociedad policial aún se cierne sobre el futuro. Disponível em: <http://uqbarwapol.com/la-sombra-de-una-sociedad-policial-aun-se-cierne-sobre-el-futuro-oscar-ventura-elp/>.

VIEIRA, M. A.; COUGO, R. H. F. A. Do universo infinito ao mercado ilimitado – a hipermodernidade de Jacques Lacan. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tpsi/v46n1/v46n1a04.pdf>.

VIEIRA, M. A. Fora do discurso. In: BATISTA, Maria do Carmo Dias; LAIA, Sérgio (Orgs.). Todo mundo delira. Belo Horizonte: Scriptum Livros, 2010. p. 243-252.

WAJCMAN, G. Le maître et l’hysterique. Paris: Navarin/Le Seuil, 1982.

X