Acontece #019

Abril 2015


Editorial

Ruskaya Maia e Rogério Barros

 

A equipe do Acontece se despede anunciando algumas atividades que já tiveram lugar e as que ainda acontecerão nas sessões e delegações da EBP no decorrente mês de abril. Ao longo desses quase  dois anos, esta sessão foi testemunha da intensa força de trabalho de nossos colegas, que já constitui marca registrada do campo freudiano. Com votos de um excelente trabalho para a nova diretoria que se constitui e agradecimentos pela oportunidade de colaborar sempre mais, bem como um sincero obrigado a nossos  nerds, que sempre corresponderam quando convocados, ficamos por aqui!   

 

 

SEÇÃO BAHIA


ACONTECEU 


Description: A ceu aberto.jpgA biblioteca da EBP-BA exibiu no sábado, 28/03/2015, o filme "A céu aberto" da cineasta Mariana Otero. A mesa foi coordenada por Mônica Hage (coordenadora do CIEN e diretora adjunta da biblioteca da EBP-BA) e composta por Tânia Abreu (diretora da biblioteca da EBP-BA) enquanto debatedora e com a participação doS associados do IPB-BA Carla Fernandes, Julia Solano e Rogério Barros, que abordaram seus trabalhos a partir da relação entre o corpo e a realidade.  O filme foi uma oportunidade de apresentar ao público o trabalho da psicanálise de orientação lacaniana com sujeitos portadores de autismos fora dos muros dos consultórios. O que, por um lado, ilustra a recomendação lacaniana aos psicanalistas a propósito de acompanharem o horizonte da sua época, e, por outro, apresenta para todos o que a psicanálise tem a oferecer aos autistas, aos psicóticos e às suas famílias. 
O filme despertou inúmeras vias para serem discutidas sob o olhar da psicanálise. Tânia Abreu trouxe a questão da transferência, afirmando não ocorrer pela via do saber, e sim através do interesse. Aborda ainda que os autistas não são tratados enquanto deficientes, mas a partir de um sintoma. Carla Fernandes o abordou a partir da elaboração entre ter e ser um corpo, onde a mediação, em casos de autismo, parece ser feita a partir de um outro (semelhante). Para Julia Solano, o mal-estar dos psicóticos parece estar nos laços sociais, e por isso a importância de se construir uma unidade corporal para saber lidar com as separações da realidade. Por fim, Rogério Barros, que intitulou seu trabalho como "o corpo e eu a céu aberto", trabalhou com algo que antecedeu o corpo - a alteridade entre o eu e o outro -, indo a Freud para embasar a sua pesquisa.
Júlia Jones


Description: Seminario Formacao.jpgACONTECE 

 

Iniciaremos o mês de abril nos despedindo da atual diretoria. Teremos, na quarta-feira, dia 01,  o Seminário de Formação Permanente enquanto sua última atividade. Será uma mesa redonda com o tema: "VII ENAPOL "O império das imagens", que terá como participantes Iordan Gurgel, Marcela Antelo, Tânia Abreu e Luiz Felipe Monteiro, sob coordenação de Rogério Barros.  
           
Description: Congresso membros.gifEntre os dias 10 e 12 de abril, acontecerá em Salvador o Congresso dos Membros da EBP - "Avaliar o parlêtre: como bem dizê-lo?". 


Esperaremos pela posse da nova diretoria e que juntos possamos continuar a construção do nosso trabalho. Como ainda não foram divulgadas as atividades, acompanhem o que Acontece em abril na seção Bahia através nas redes sociais da Escola Brasileira de Psicanálise. 

 

 

 

SEÇÃO RIO

 

Nesse mês de abril as atividades da Seção-Rio terão início com o Seminário de Orientação Lacaniana. Coordenado por Romildo do Rêgo Barros, o seminário terá como tema a supervisão e contará com o convidado Rômulo Ferreira AME-AE, EBP/AMP. A atividade acontecerá no dia 6/04.

 
Na semana seguinte, no dia 13/04, será a vez do Seminário Clínico. Contaremos com a apresentação de um caso de MarÍcia Ciscato e com o debate de Ruth Cohen. A coordenação da atividade é de Fernando Coutinho e Maria Silvia G. F. Hanna.


No dia 18/04 teremos o prazer de receber Bernardino Horne AME- AE (1996-1999),  EBP/AMP, com a Conferência: El que para existir deja de ser.


Fecharemos esse mês com o Seminário Lições do Passe, no dia 27/04. A coordenação é de Marcus André Vieira dando prosseguimento ao tema escolhido para esse ano, Ressonâncias – O corpo falante e o final de uma análise.

 

 

SEÇÃO MINAS GERAIS

 

No mês de abril podemos destacar, além das atividades quinzenais dos Núcleos de Investigação e Pesquisa em Psicanálise do IPSM-MG, o Seminário de Leitura do Curso de Orientação Lacaniana na EBP-MG, sob a responsabilidade de Jésus Santiago e Ram Mandil.


No dia 22 acontecerá, ainda, a reunião do REPsciência, uma atividade da biblioteca e direcionada àqueles que se interessam pela fronteira entre psicálise e ciência, sob a coordenação de Frederico Feu. Três questões orientam essa investigação: o que é a psicanálise? O que é a ciência? O que é o real? 


Fechando os destaques, teremos no dia 23, o primeiro Seminário Preparatório rumo à XIX Jornada da EBP-MG "O que quer a mãe hoje? Maternidades no século XXI". Coordenada por Cristina Drummond (Coordenadora da XIX Jornada) a mesa será composta também por Jésus Santiago e Sérgio de Campos.
Não deixe de acessar o Portal da EBP-MG e do IPSM-MG, Minas com Lacan www.minascomlacan.com.br

Figura 1 http://minascomlacan.com.br/agenda/2015-04/

 

 

SEÇÃO SÃO PAULO

 

01/04 – Apresentação e diretrizes sobre ENAPOL 2015. Apresentação: Rômulo Ferreira da Silva e Maria Helena Barbosa . Coordenação: Marizilda Paulino.


15/04 – Noite de Homenagem a Márcia Szajnbok. Coordenação: Angelina Harari


29/04 – "Biologia lacaniana e acontecimento de corpo" + articulação com tema do ENAPOL e Congresso da AMP.  Cap. I - O trabalho dos algoritmos do ser vivo e Cap. II - A vida é condição do gozo. Apresentação - Miller: Teresinha Meirelles Coordenação: Cynthia Freitas.


Maio


13/05 - "Biologia lacaniana e acontecimento de corpo" + articulação com tema do ENAPOL e Congresso da AMP. Cap. III - Acontecimento de corpo e advento de significação e Cap. IV - Apólogo. Apresentação - Miller: Eliane Costa Dias. Articulação: Lúcila Darrigo


27/05 - "Biologia lacaniana e acontecimento de corpo" + articulação com tema do ENAPOL e Congresso da AMP. Cap. V - O sintoma como acontecimento de corpo e Cap. VI - O corpo Schreberiano. Apresentação - Miller: Mônica Bueno Camargo. Articulação: Cristiana Gallo.


29/05 -  Conversação - ENAPOL 2015. Apresentação: Fernando Vitale.


30/05 -  Conversação - ENAPOL 2015. Apresentação: Maurício Tarrab.


Junho


10/06 - Atividade de Cartel. Coordenação: Valéria Ferranti

 

 

24/06 - O Império das Imagens do Outro lado do Atlântico. Apresentação Internacional: Consenza. Coordenação: Alessandra Pecego.
       
www.clin-a.com.br 
Coordenador geral de Ensino: Luiz Fernando Carrijo da Cunha

 

Description: Clin-a 001.jpeg


Description: Clin-a 002.png

 

 

 

A angústia

Chaves de leitura para O Seminário 10
A angústia, de Jacques Lacan

 

Um aperto no peito. Mal-estar sem saber de onde vem. Quem nunca sentiu? É uma angústia…
Jacques Lacan dedica o Seminário de 1962-1963 à angústia. Toma a experiência analítica como referência essencial. "A angústia é um afeto". Distingue-se do sentimento por não mentir, enquanto que quem sente, mente (senti ment). "A angústia é isto que não engana".


Não é uma emoção, é um afeto. O afeto não é recalcado. Os significantes que o amarram é que são recalcados. No Seminário X A Angústia, Lacan desenvolve uma práxis baseada no desejo (erotologia que se
contrapõe à psicologia) e no afeto - angústia.


A angústia não é sem objeto. Se em Freud (1926) – Inibição, sintoma e angústia – a angústia se dava pela falta do objeto, em Lacan se dá pela presença, o objeto a, reserva de gozo e causa do desejo, que tem-se que suportar. Não se trata do objeto visado, mas do objeto causa do desejo.


François Leguil afirma que "O único remédio contra a angústia é o desejo, pois só o desejo, na medida em que ele introduz a falta, pode acalmar as relações do sujeito com o surgimento do objeto". A psicanálise não exclui, mas encampa a angústia. Ela possibilita o circuito da palavra com o corpo. Palavra que não passa pelo sentido, mas que ressoa, toca o corpo. Lacan considera a angústia como signo do desejo e índice do real - não é considerada uma emoção, mas, como mencionado, um afeto que não engana. O corpo é afetado. "A angústia é a verdade da sexualidade."


A angústia lacaniana é uma angústia produtora – produz o objeto-causa. É o motor da análise e cabe ao analista manejar sua rotação. "O analista é um radar de angústia", diz Forbes. Com efeito, Lacan a toma como termômetro a ser utilizado pelos psicanalistas: "Sentir o que o sujeito pode suportar de angústia os põe à prova a todo instante." (Lacan, 2005, p. 13) A angústia é um parâmetro da direção do tratamento. A experiência analítica é minha referência essencial. ( idem, p. 25) O Seminário X, de Lacan, mantém sua atualidade em relação ao desbussolamento do homem contemporâneo. Viver no mundo globalizado é saber viver com a angústia. Passa-se a uma clínica além da castração, uma clínica voltada a suportar a qualidade, o melhor de mim, que não pode se inscrever na civilização, já que esta pasteuriza. Uma clínica sem necessidade da compreensão (Forbes, 2005). Ao não revestir a perda e promover a invenção, a psicanálise é constitutiva de uma ética para nosso tempo.

 

Data e horário: Sábado, 25 de abril de 2015, das 9 às 17 horas.
Método: As aulas serão expositivas, conceituais e com exemplos clínicos.
Professores: Docentes do IPLA
Valor: 200,00. As inscrições podem ser feitas no IPLA ou por depósito bancário. Alunos do IPLA e estudantes até 25 anos têm desconto de 20%.
As vagas são limitadas.
Local: IPLA, Rua Augusta, 2366 – Casa 2, São Paulo
Telefones: (11) 3061-0947 e (11) 3081-6346
Site: http://www.ipla.com.br/
Email: ipla@psicanaliselacaniana.com
Twitter: https://twitter.com/ipla_
Facebook: http://www.facebook.com/ipla.ipla

Curadoria: Elza Macedo
Orientação científica: Jorge Forbes

 

PROGRAMA


9h00 – 9h30: Café com bolo IPLA

 

9h30 – 10h30: Aula Inaugural O Seminário 10 de Jacques Lacan – Claudia Riolfi
Apresentação do Seminário 10 A angústia. A angústia, sinal do real. A superação da angústia pelo amor. Aforismos sobre o amor. A angústia é o meio termo entre o desejo e o gozo. Só o amor permite ao gozo condescender ao desejo. Amor-sublimação. O amor é a sublimação do desejo. A mulher supera a angústia por amor.

 

10h30 – 11h30: Aula 2 – Inibição, Sintoma e Angústia – Alain Mouzat
"O viajante surpreendido pela noite pode cantar alto no escuro para negar seus próprios temores; mas, apesar de tudo isto, não enxergará mais que um palmo adiante do nariz." (Freud). O estranho, Unheimlich. Inibição. Impedimento. Embaraço. Triebregung.

 

11h30 – 12h00: Café com bolo IPLA

 

12h00 – 13h00: Aula 3 – Angústia: um parâmetro da direção do tratamento  – Teresa Genesini
A angústia não é sem objeto. Sentir o que o sujeito pode suportar de angústia. A angústia surge quando a falta falta. O que se teme é o sucesso? Angústia produtiva.

13h00 – 15h00: Horário de Almoço

 

15h00 – 16h00: Aula 4 - A relação da angústia com o desejo do Outro – Dorothee Rüdiger
O gozo do Outro. A demanda do Outro. Desejo que se manifesta na interpretação. Desejo do analista. Che vuoi. Que quer ele de mim? "A angústia é isto que não engana". Pontuações sobre o desejo.

 

16h00 – 17h00: Aula de Encerramento - A função do objeto na experiência analítica – Liége Lise
O amor, véu da angústia. Significante inominável. O falo não está implicado como significante, mas como órgão. O resto não especular e não imaginado do corpo. Erotologia. O amor real presente na transferência. As cinco formas do objeto pequeno a.

 

 

SEÇÃO SANTA CATARINA

 

O mês de abril na Seção Santa Catarina segue com as atividades dos Núcleos de Psicanálise e Cultura, Pandorga – Clínica com crianças na Psicanálise, e com o Núcleo de Pesquisa sobre Psicoses que este ano se dedicará ao estudo de questões em torno do imaginário e do corpo.


O Seminário de Orientação Lacaniana continua a leitura iniciada no ano passado do Curso El Ultimíssimo Lacan de Jacques-Alain Miller sob a coordenação de Luis Francisco E. Camargo e, por fim, o curso de Psicanálise da Orientação Lacaniana prossegue com o seu terceiro e último ano iniciado em 2013.

 

 

SEÇÃO PERNAMBUCO

Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\pERNANBUCO 1.JPG

 

Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\pERNANBUCO.JPG

 

Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\pERNANBUO3.JPG


Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\PERNAMBUCO4.JPG

 

 

DELEGAÇÃO PARANÁ

 

Ao promover atividades como Seminários Declarados, Jornadas, Colóquios, Cartéis, Atividades Preparatórias para eventos da AMP e EBP, Leituras comentadas dos Seminários de Lacan e Miller ou as Noites da Biblioteca, a Delegação Paraná tem consolidado seu trabalho de ensino e transmissão da psicanálise de Orientação Lacaniana na cidade de Curitiba.


Em maio de 2014, tivemos o lançamento da Revista Aleph nº4: "A violência e a agitação dos corpos". Esta edição da revista ofereceu uma importante ferramenta de trabalho para o Colóquio da Delegação, que teve por tema "Trauma e Violência" em setembro do ano passado.

 

Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\cartaz santa Cat.jpgNa ocasião deste Colóquio e do anterior, que versava sobre o tema "Acontecimento de Um corpo: o corpo em psicanálise" foi criado um espaço intitulado "Passe na Delegação", que consiste em convidar Analistas da Escola (AEs) em função a darem seu testemunho do Passe. A proposta dessa atividade, junto com os comentários realizados por colegas AME's e ex-AEs, é a de transmitir o que ocorre numa análise levada ao seu termo lógico. Favorecendo a produção de questionamentos e a discussão dos mesmos como uma aposta na renovação do trabalho da Escola, assim como também do lugar da psicanálise no contemporâneo.

Dois eventos fortaleceram este espaço: no primeiro deles, trabalhamos o depoimento de Marcus André Vieira, publicado na revista Aleph, n°4. E o outro evento foi realizado no Museu Oscar Niemeyer, lugar emblemático da cidade, onde pudemos contar com testemunhos dos colegas Ram Mandil (EBP) e Anna Aromí (ELP-Barcelona) diante de um público atento e interessado de 180 pessoas.

 

Description: C:\Users\User\Documents\Aconteces\Último DR\cartaz aleph-01 (1).jpgA fim de avançar nas construções e conceitos da psicanálise de Orientação Lacaniana de forma clara e edificante, a Delegação Paraná propôs três cursos aos profissionais interessados na psicanálise, recém-formados ou que trabalham no campo da saúde pública. O Curso Introdutório "Os conceitos fundamentais da psicanálise: de Freud a Lacan" já está em seu terceiro ano de trabalho; o Curso Intensivo "Do Sintoma ao Sinthome" está em seu segundo ano de transmissão e a novidade neste ano de 2015 da Delegação Paraná concerne o Curso Introdutório "Percorrendo Lacan: um estudo através dos paradigmas do gozo" o qual privilegia um aprofundamento no ensino de Lacan a partir do conceito de gozo. Em relação a este trabalho se consolidaram Núcleos de pesquisa sobre a Psicanálise e outras áreas.


 Outro evento marcante dessa gestão resulta da mudança da Sede da Delegação Paraná, renovando assim a aposta de um lugar de referência de trabalho em psicanálise na cidade. Com a abertura da Biblioteca e de uma Livraria no local, este novo espaço abriu as portas para a circulação de estudantes e interessados na psicanálise de Orientação Lacaniana, criando um espaço vivo e de sustentação da psicanálise em nossa comunidade.


Por fim, gostaríamos de agradecer o esforço e a dedicação dos todos os membros, correspondentes e colaboradores da Delegação Paraná, que ao colocarem a singularidade de cada um a serviço desse trabalho coletivo de transmissão e de desejo decidido pela psicanálise, pode-se encerrar esse mandato com grande alegria e satisfação, mantendo viva a psicanálise de Orientação Lacaniana em nossa região.

 

 

DELEGAÇÃO PARAÍBA

 

 

Atividades propostas, como Jornadas, Seminários, Colóquios, Mesas Redondas, Núcleos de Pesquisa, Oficinas de Leitura, Sessões clínicas, publicações, etc, ao longo de seus 15 anos de existência (mais 3 anos enquanto Delegação Geral – João Pessoa e Campina Grande), consolida, cada vez mais, a DPB como um instrumento de transmissão da psicanálise em nosso estado.


Pleiteando evocar e conservar na memória, fatos ocorridos na DPB que concorreram para esta sustentação da psicanálise em nossa comunidade, tanto de analistas quanto de alunos, simpatizantes e até mesmo eventuais frequentadores, é que esta coordenação (através da secretaria de biblioteca) que está para se encerrar teve a iniciativa de propor a execução deste Memorial, que, além de compilar o material, serviria para arquivar o singular, incessante e, muitas vezes, ousado trabalho empreendido pelos membros da DPB.
Vânia Ferreira, aderente da DPB, foi a convidada para por em prática o projeto e aceitou o desafio! Assim, o Memorial é o resultado de um trabalho minucioso de pesquisa e compilação do percurso de 15 (+3) intensos anos, onde o desejo decidido de alguns pôde sustentar e cernir as consequências da transmissão que concorre para uma formação sólida e consistente daqueles que, através da DPB, procuram uma referência à Escola Brasileira de Psicanálise. Ao mesmo tempo, com ele, foi possível destacar a vitalidade da DPB e a força do estilo de cada um, além de dar relevo a um acervo fotográfico que retrata diversos momentos ao longo desses anos.


Certamente, não foi possível incluir tudo que se passou, mas foi possível evidenciar os principais eventos e, com o projeto, levar o leitor a um passeio prazeroso pelas veredas da psicanálise de orientação lacaniana na Paraíba.


Os exemplares estão disponíveis nas sedes da DPB para quem quiser folheá-lo, adentrar e ser transportado através do tempo, em um passeio pelos diversos cenários de épocas transcorridas, onde uma multiplicidade de acontecimentos retratam a vari(e)dade do trabalho da DPB


Agradecemos à Vânia Ferreira pelo empenho e dedicação e a felicitamos pelo resultado!
É com grande alegria que concluímos esse trabalho efetuado ao longo desse biênio e brindamos aos 15 anos da DPB!

 

Maria Cristina Maia Fernandes
Secretária de Biblioteca - DPB

 

 

DELEGAÇÃO GERAL MATO GROSSO/MATO GROSSO DO SUL

 

Acontece em Rondonópolis

Com "Uma viagem inesperada" discutiremos a clínica do autismo, abertos sempre ao inesperado das surpresas. Aprendendo com cada um, no dia a dia da clínica, avançamos  com a teoria psicanalítica

 

 

 

 

DELEGAÇÃO GERAL GOIÁS/DISTRITO FEDERAL

 

10 e 11 de abril: Módulo II do Curso de Extensão "Perversão e Sintomas Contemporâneos".
O segundo módulo do curso é intitulado "A perversão Segundo Lacan".
Local: Goiânia – GO.

 

Description: C:\Users\Juliana Melo\Desktop\curso perversao 2015.jpg

 

1 de Abril: Seção Clínica
Antônio Noleto apresentará o caso clínico e Cristiano Pimenta realizará debate. Às 20:00 na sede da DG GO/DF - Local: Goiânia - GO

 

Description: C:\Users\Juliana Melo\Desktop\seção.jpg

 

11 e 25 de Abril: Ateliê de leituras preparatórias para o VII ENAPOL - Coordenação – Juliana Melo


11/04 – Texto: RUMO AO VII ENAPOL – "O IMPÉRIO DAS IMAGENS" – Ana Lydia Santiago


25/04 – Texto: UM OLHAR PSICANALÍTICO PELO IMPÉRIO DAS IMAGENSRaquel Cors Ulloa


Local: Anápolis – GO


Aconteceu na Delegação Geral – GO / DF

 

Resenha sobre o primeiro Módulo do curso Perversões e Sintomas Contemporâneos

Por Waléria Paixão Borges Vieira

 

Nos dias 6 e 7 de março do corrente ano, deu-se o início do curso: Perversões e sintomas contemporâneos, da EBP Delegação Geral GO/DF. O primeiro módulo foi bastante esclarecedor e com satisfação pudemos perceber um bom aproveitamento pelos alunos. Tivemos como o primeiro módulo: A perversão segundo Freud.


Os professores foram: Denizye Zacharias e Jaqueline Coelho falando sobre o texto "Três Ensaios", Cristiano Pimenta com o texto  "Uma criança é espancada" e Ceres Lêda Rúbio trazendo "A jovem homossexual" e Giovana Heinemann "O fetichismos". Textos que foram devidamente apresentados realçando a importância destes momentos da teoria de Freud para considerarmos a clínica da perversão.


Fizemos assim uma leitura dos textos de Freud, visando a proposta de Lacan que nos possibilitou uma grande elucidação teórica dos conceitos que fundamento a clínica da perversão e dos sintomas contemporâneos.


Resenha sobre atividade preparatória "O tempo em Imagem"  em DF

* Por Giovanna Quaglia

 

O tempo em imagem foi o tema do debate ocorrido em Brasília no dia 21 de março como preparatória para o Enapol e Jornada da Delegação Geral GO/DF. 


Pulsionados pelas imagens e o relógio do filme alemão "Corra Lola Corra" uniram-se André Cunha (cineasta e diretor de fotografia) e Giovanna Quaglia (psicanalista participante da DG GO/DF - EBP).


A fotografia e o cinema apontam que o tempo tem outra imagem. Segundos em imagem são horas. Anos em imagem são uma foto.  Lacan e o amanhecer em Baltimore nos indicam que Lola corre na mesma cidade, mas que a cada repetição, de seu atraso, um novo dia começa e uma nova cidade se desvela. O mesmo que não é o igual. Pessoas que têm suas imagens modificadas por tropeços de Lola. O tempo se revela no desmembramento da singularidade, do saber que se responsabiliza em um tempo que vai e volta nas imagens. 


Com essa preparatória iniciamos em Brasília uma série de debates onde o cinema nos levará a pensar no império das imagens.


 

Resenha Evento de Biblioteca da DG-GO/DF  e Estudo de Caso Clínico na capital.

Por Ordália A. Junqueira

 

Final de semana em Brasília, com dois encontros para a Transmissão da Psicanálise de Orientação Lacaniana no espaço da Universidade com uma presença considerável de alunos do curso de psicologia do IESB. Em um primeiro momento, após a exibição do documentário de Gerar Miller "A primeira sessão", uma conversação conduzida por Christielle Fagundes e Ordália A. Junqueira, algumas questões cruciais para a psicanálise foram discutidas como o uso do divã, a "frieza" do analista e o possível "teatro" que poderia ser uma análise. Em um segundo momento, a discussão de um caso clínico propiciou também uma conversação calorosa. O idosanalisantes Pan nos levou a colocar em pauta uma inquietação da mudança da psicanálise e dos analisantes recebidos na clínica no século XXI, que passa a exigir, no mínimo, um novo analista.

 

 

DELEGAÇÃO GERAL MARANHÃO

 

A Delegação Geral Maranhão/EBP  vai receber no mês de abril, nos dias 17 e 18, o psicanalista e conselheiro da DG MA, Fernando Coutinho, que em conferência aberta vai falar sobre "Corpo, nosso Outro? Como dizê-lo?" e também dará o Seminário "De que corpo falamos"?. Estas atividades são preparatórias para o VII ENAPOL. No dia 17 de abril a Delegação Geral MA fará o lançamento oficial da sua Revista Eletrônica "Iteração", na Universidade CEUMA. Também, em abril, seguiremos com as atividades propostas para o ano de 2015, como: "Curso de Formação Teórica em Psicanálise", realizado todos os sábados e coordenado por Eduardo Riaviz; "Curso Percurso de Freud a Lacan e retorno"  e o Ateliê de Leitura "Variantes Clínicas do Ensino de Lacan", sob a responsabilidade de Eduardo Riaviz,  realizados todas às sextas-feiras. Em abril, também, vai acontecer o "Núcleo de Psicanálise e Cultura"  que tem como responsável Thaïs Moraes Correia; o ateliê de leitura "Textos de Freud: sobre a psicologia do inconsciente", sob a responsabilidade de Ernesto Mandelli e a Atividade preparatória para o VII ENAPOL sustentada pelos participantes da Delegação.