O NOVO SITE CHEGOU!

por Ana Lucia Lutterbach Holck - Diretora da EBP (2015-2016)

A- / A+

Estar na Diretoria ou no Conselho nos permite uma visada absolutamente única do funcionamento da Escola. De onde estamos hoje salta aos olhos a multiplicidade da Escola Brasileira de Psicanálise. Diferente das outras, a nossa Escola está espalhada por todo o país em Seções e Delegações com características e estruturas próprias e independentes, de tal maneira, que por vezes encontramos dificuldade em localizar onde está a EBP.

Miller em sua carta, por ocasião da fundação da Escola, já nos chamava atenção para a fragilidade do Um da EBP. Essa particularidade nos coloca desafios permanentes em todos os âmbitos, tanto do ponto de vista epistêmico e político quanto administrativo. É preciso todo o cuidado para que o múltiplo não se transforme em pura dispersão.

Se por um lado nos traz problemas e dificuldades, por vezes intransponíveis, a multiplicidade é nossa riqueza, é o que temos de mais singular. Não queremos nos opor ao múltiplo, mas pelo contrário, nos apropriarmos desse nosso sintoma e dele fazer uso de tal maneira que prevaleça a diversidade e a invenção e não a pulverização ou os grupos isolados, duas tendências correlatas. Para isso temos valorizado o Uno, como pontos de amarração a partir dos quais podemos explorar o múltiplo.

Os eventos internacionais e o Encontro Nacional são momentos esporádicos que nos permitem a experiência do Um. A atual diretoria propõe mais três:

1) o Projeto de Ação Lacaniana: iniciativa, coordenada por Fernanda Otoni, de lançar conversações simultâneas e pontuais, em todas as cidades onde estão sediadas nossas Seções e delegações, sobre temas candentes estampados em nossos jornais e redes sociais.
Numa tentativa de reunir a EBP em torno de um mesmo tema e ao mesmo tempo nos incluirmos nos debates com aqueles que também se sentem implicados nos acontecimentos atuais, fazendo a psicanálise entrar na conversa com outros campos de saber e de práticas para ler com eles os impasses instalados na cidade.

2) a criação de um centro administrativo fixo: estabelecemos, assim, num lugar só a administração da EBP e permutaremos unicamente a direção. Este Centro está em São Paulo, uma vez que encontra-se ali nossa sede e CNPJ, desde a fundação da EBP. Com essa medida, não só unificamos nossa administração como teremos uma continuidade nos processos contábeis, e uma estante para nossa futura livraria virtual. Agradeço à Paula Borsoi o imenso trabalho de viabilização deste espaço.

3) O terceiro Um: o novo site e um novo logotipo.
Com este novo formato, pretendemos criar uma sede virtual para a EBP, reunindo num só lugar as revistas Bibliô e Ação Dobradiça, textos fundamentais da Orientação Lacaniana, informações, e notícias sobre nossos eventos, cartéis, publicações, vídeos e o Projeto Ação Lacaniana e muito mais. Traz também uma área reservada aos membros na qual poderão editar sua informações.

Essa construção foi uma longa e difícil jornada na qual toda a Diretoria se empenhou, mas, principalmente, Marcela Antelo, que além de Diretora de Biblioteca é nossa atual presidente, e contribuiu imensamente com sua intimidade com a Escolas da AMP, seu gosto pela navegação e leitura, e seu olhar de lince. Ao lado de Celeste Hampton, também reuniu um inestimável material referente às publicações e textos.

O novo logotipo, que podemos ver no cabeçalho do site e que reproduzimos aqui abaixo, vem marcar essas transições todas. Em consonância com o antigo, se torna, no entanto, mais leve e elegante.

 

01-novo-site-ebp-home

 

Agradeço também ao Adriano Aguiar, responsável pelo site e um apaixonado pela comunicação virtual.

Lourenço Astúa de Moraes foi nosso comandante nesta jornada e sem o seu talento artístico e trabalho técnico o site não teria acontecido.

Convido a todos para um passeio em nosso site-sede.

Bom proveito!

Ana Lucia Lutterbach
Diretora da EBP (2015-2016)