Publicações

CURINGA 7

CURINGA 7

Autor

Vários autores

Número / Edição

#7

Ano

1995

Sobre o Livro

Índice

APRESENTAÇÃO, Celso Rennó Lima

EDITORIAL
“Isto não é um cachimbo”, ou a citação paradoxal de René Magritte, Jésus Santiago

O LUGAR DA INTERPRETAÇÃO HOJE
O lugar da interpretação hoje, Ram Avraham Mandil
Interpretação e semântica do gozo, Jésus Santiago

QUANDO O CARTEL INTERPRETA A INSTITUIÇÃO
Cartel e interpretação, Oscar Cirino
Quando o cartel interpreta a instituição, Célio Garcia
Cartel, um dispositivo interpretante, Lázaro Elias Rosa

O DESEJO É SUA INTERPRETAÇÃO
Um sonho que interpreta, Cristina Drummond
Direções da interpretação, Márcia Rosa
O desejo é sua interpretação: a interpretação do sonho depois de Lacan, Maria Rita O. Guimarães

LIMITES DA INTERPRETAÇÃO
Um limite da interpretação: a transferência, Elisa Alvarenga
O dizer: esse limite, Maria Aparecida Farage Osório
Limites da interpretação: um recorte entre o jogo com o equívoco e o deciframento do inconsciente, Marina Caldas Teixeira

INTERPRETAÇÃO E ENTRADA EM ANÁLISE
A interpretação da entrada em análise, Cristiana Pitella de Mattos
A interpretação no caso Hans, Suzana Barroso Spínola
Interpretação e entrada em análise, Sandra Maria Espinha Oliveira

A INTERPRETAÇÃO DELIRANTE
Enigma e interpretação delirante: uma pontuação, Antonio Beneti
Interpretação delirante e interpretação psicanalítica, Francisco Paes Barreto
O sinal dos tempos, Hélio Lauar

INTERPRETA-SE A TRANSFERÊNCIA?
Interpreta-se a transferência?, Sérgio Laia
Interpreta-se a transferência?, Fernando Teixeira Grossi
Transferência e interpretação, Sérgio de Mattos
Interpreta-se a transferência? Uma questão a partir da presença do analista, Simone Oliveira Souto

O SILÊNCIO DO ANALISTA
A ética do silêncio, Ana Lydia Santiago
Do mal-entendido à flor da pele, Samyra Assad
A interpretação alusiva, Sérgio de Castro

NÃO HÁ FINAL DE ANÁLISE SEM INTERPRETAÇÃO
Não há final de análise sem interpretação, Angela Maria Diniz Costa
A interpretação e o final de análise, Celso Rennó Lima
Não há final de análise sem interpretação, Romildo do Rego Barros

CONEXÃO INTERNACIONAL
A interpretação “apofânica” e “oracular”, Stéphanie Gilet-Le Bon
O objeto da psicanálise, os matemas, os objetos matemáticos, René Guitart

CONEXÕES
Em vez de um, dois, Célio Garcia
A lógica especular: formulação de questões de interesse para a psicanálise, Célio Garcia




Outras publicações relacionadas